Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Indonésia. Terroristas procuraram imitar os atentados de Paris

  • 333

RONI BINTANG/EPA

Os sete homens atacaram em três áreas distintas do centro de Jacarta esta quinta-feira. A falta de treino e as suas armas rudimentares terão contribuído para que apenas tenham morrido sete pessoas, cinco das quais os próprios atacantes

A polícia indonésia está convicta de que os sete homens que levaram a cabo ataques em três áreas distintas do centro de Jacarta na quinta-feira pretendiam imitar os atentados de Paris, mas o seu pouco treino e as armas rudimentares que utilizaram terá contribuído para que apenas tenham morrido sete pessoas, cinco das quais os próprios atacantes.

Reivindicados pelo autodenominado Estado Islâmico (Daesh), os ataques causaram ainda 24 feridos.

Bahrun Naim, um militante que já esteve preso na Indonésia por posse de armas e que se encontra atualmente na Síria, terá orquestrado os ataques, tendo dados instruções a células na Indonésia nesse sentido, referem os investigadores com base na interceção de comunicações. “Ele criou células ou uma subsidiária do Daesh denominada Katibah al Nusantara. A sua visão é juntar, unir todos os apoiantes do Daesh no Sudeste Asiático, incluindo a Indonésia, Malásia e Filipinas”, afirmou o diretor da polícia de Jacarta, Tito Kamavian, à CNN.

As autoridades levaram quatro horas a dominar a situação, após pelo menos três homens com coletes armadilhados atacarem cafés da cadeia Starbucks numa zona da cidade onde se encontram localizadas diversas organizações internacionais, embaixadas e hotéis de luxo. Dois atacantes acabaram por se fazer explodir, três morreram na troca de tiros com as autoridades, e os outros dois foram capturados com vida.

Dois dos atacantes já haviam sido condenados, um deles por ter frequentado um campo de treino jiadista. Para além dos próprios terroristas (todos de nacionalidade indonésia), morreu um cidadão canadiano e um polícia indonésio.

A Indonésia, o mais populoso país muçulmano do mundo, sofreu entre 2000 e 2009 vários atentados, mas, ao que tudo indica, estes terão sido os primeiros relacionados com o Daesh. As autoridades estimam que nos último anos 700 indonésios terão viajado até à Síria e Iraque para se juntarem à organização jiadista.

  • Estado Islâmico é o autor dos atentados de Jacarta

    A notícia é avançada por uma agência próxima do Daesh: “O Estado Islâmico levou a cabo esta manhã um ataque armado que visou as autoridades estrangeiras e nacionais, bem como as forças de segurança encarregues de as proteger na capital indonésia”, escreve a Aamaaq News

  • Jacarta palco de uma série de atentados terroristas

    O número de mortos está até agora contabilizado em seis, mas as autoridades ainda trabalham nos seis locais onde explosões e bombistas suicídas geraram o terror na capital da Indonésia. Os ataques de hoje começaram num café da cadeia Starbucks perto da sede das Nações Unidas