Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Talibãs voltam a atacar centro de vacinação contra a poliomielite

  • 333

Ataque a centro de vacinação contra a poliomielite mata pelo menos 15 pessoas, em Quetta, no Paquistão

JAMAL TARAQAI/EPA

O atentado reivindicado pelo grupo Tehreek-e-Taliban matou pelo menos 15 pessoas

Um bombista suicida fez-se explodir esta quarta-feira junto a um centro de vacinação contra a poliomielite, na cidade paquistanesa de Quetta.

Pelo menos 15 pessoas morreram e 20 outras ficaram feridas na explosão que foi já reivindicada pelo grupo talibã paquistanês Tehreek-e-Taliban.

A explosão ocorreu quando uma carrinha da polícia se dirigiu ao centro de vacinação para escoltar trabalhadores responsáveis pela vacinação de todas as crianças com menos de cinco anos na província do Baluchistão, a maior do país.

O ataque acontece dois dias depois do relançamento da campanha de vacinação contra a paralisia infantil em Quetta e noutros distritos do Baluchistão.

A maioria das vítimas integravam as forças de segurança paquistanesas. Este foi o maior ataque dos últimos meses contra equipas de vacinação da poliomielite. O último ataque a equipas de vacinação contra a doença acontecera em novembro de 2015, no distrito de Swabi, no noroeste do país. Na altura, o coordenador da campanha de vacinação foi morto a tiro por homens não identificados.

Mais de 300 casos de pólio em 2014

O Paquistão registou mais de 300 casos de poliomielite em 2014, o número mais elevado desde 1999. A maior parte dos novos casos de infeção foram identificados no nordeste do Paquistão e atingem sobretudo menores de 5 anos.

O número total de casos caiu para 50 em 2015, o que se deveu sobretudo ao acesso das equipas de vacinação a zonas onde antes não era possível.

Paquistão e Afeganistão são os únicos países onde a poliomielite ainda é endémica, segundo a Organização Mundial da Saúde.