Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Irão liberta militares norte-americanos

  • 333

Imagem dos militares norte-americanos detidos divulgada pela televisão iraniana

DR

Teerão reconheceu que a entrada em águas territoriais iranianas “não tinha sido intencional” e decidiu libertar os dez militares norte-americanos detidos na terça-feira

Os dez militares norte-americanos, detidos na terça-feira depois de terem entrado em águas territoriais iranianas, "foram libertados", anunciaram esta quarta-feira os Guardas da Revolução em comunicado lido na televisão estatal.

"Na sequência de uma investigação, concluiu-se que a entrada em águas territoriais do país não tinha sido intencional. Após terem apresentado desculpas, foram libertados em águas internacionais", indicaram. "Os Estados Unidos comprometeram-se a não repetir este tipo de erros", pode ler-se no comunicado.

A televisão estatal iraniana mostrou, logo após a leitura do documento, as primeiras imagens dos militares detidos, sentados numa sala com tapetes persas. A estação transmitiu também fotografias das duas embarcações.

Imagem divulgada pela Marinha dos EUA horas antes de terem sido apreendidas pela Irão

Imagem divulgada pela Marinha dos EUA horas antes de terem sido apreendidas pela Irão

DR

As duas lanchas e os dez militares, nove homens e uma mulher, foram intercetados na terça-feira, quando entraram em águas territoriais iranianas, de acordo com Teerão. Foram levados para a ilha Farsi, na parte norte do Golfo Pérsico, onde está uma das bases dos Guardas da Revolução.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, telefonou ao homólogo iraniano, Mohammad Javad Zarif, para pedir a libertação das embarcações e respetivos tripulantes.

Este incidente ocorre alguns dias antes da aplicação final do acordo nuclear entre o Irão e o grupo dos 5+1 [cinco países membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - Estados Unidos, França, Reino Unido, China e Rússia - e a Alemanha].

O acordo vai permitir suspender as sanções que a comunidade internacional decidiu aplicar na sequência do desenvolvimento do programa nuclear iraniano.