Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Atentado de Istambul. Polícia fez 65 detenções

  • 333

TOLGA BOZOGLU/EPA

Entre as pessoas detidas nas operações desencadeadas após o ataque suicida de terça-feira, estão três cidadãos russos e 15 sírios, todos suspeitos de terem ligação ao Estado Islâmico

Um dia depois do atentado suicida que provocou dez mortos e 15 feridos em Istambul, a polícia deteve um total de 65 pessoas - incluindo três russos e 15 sírios - acusadas de estarem relacionadas com o autodenominado Estado Islâmico (Daesh).

Entre os suspeitos estão três russos, que foram detidos em Antalya, na costa mediterrânea, avança a agência Dogan, além de 15 sírios e um cidadão turco, todos detidos em Ancara.

As forças de segurança apreenderam também vários documentos, havendo a suspeita de que os detidos em Ancara estariam a recolher informação sobre os edifícios públicos na capital turca.

A operação de maior envergadura no âmbito do atentado de terça-feira ocorreu em Sanliurfa, perto da fronteira com a Síria, onde foram detidos 21 suspeitos.

Em Kilis, na fronteira síria, foram detidos outros quatro estrangeiros, que se acredita terem chegado da Síria e que são acusados de pertencer ao Daesh. Segundo a Lusa, dois deles são menores de idade e foram entregues aos pais, enquanto os dois adultos foram acusados de pertencerem a um grupo terrorista.

Outros 21 suspeitos foram detidos em cidades da província de Mersin, na vizinha Adana e em Diyarbakir, a principal cidade das regiões de maioria curda.

A detenção dos três cidadãos russos já foi confirmada pelo consulado da Rússia.