Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Califórnia em estado de emergência devido a fuga “catastrófica” de gás metano

  • 333

Lucy Nicholson / Reuters

Os especialistas classificam a fuga de gás, detetada a 23 de outubro, como um acontecimento “catastrófico” e “incomparável”. Milhares de cidadãos já foram deslocados devido a complicações de saúde

É uma grande catástrofe ecológica. Assim classificam os especialistas a fuga de gás metano num poço da Califórnia que resultou esta quarta-feira na declaração do estado de emergência naquele estado norte-americano, noticia o “Wall Street Journal”.

Apesar de a fuga de gás metano ter começado a afetar o bairro californiano de Porter Ranch há mais de dois meses, só agora o governador do estado da Califórnia , Jerry Brown, decidiu deccretar o estado de emergência, em resposta às exigências feitas por residentes do bairro, ativistas e advogados nas últimas semanas.

No comunicado divulgado pelo gabinete do governador, citado pelo diário norte-americano, pode ler-se que os responsáveis pretendem “iniciar ações para proteger a saúde e segurança pública (…) e fortalecer a supervisão dos locais onde o gás é armazenado”.

De acordo com os responsáveis da companhia responsável, a Southern California Gas (SoCal Gas), que estão a tentar tapar o poço em causa, a fuga só deverá ser travada por completo em março.

O presidente da SoCal Gas, Denni Arriola, já se manifestou em comunicado citado pelo “Wall Street Journal”, para dizer que a companhia “está pronta para cooperar com o gabinete do governador e com agências reguladoreas”. Arriola garantiu na mesma nota que a SoCal Gas está agora focada em “travar a fuga de gás de forma rápida e segura”.

Impacto ambiental é “incomparável”

Esta semana, Jerry Brown visitou tanto o bairro de Porter Ranch como o Aliso Canyon Natural Gas Storage, onde a fuga começou. Segundo as autoridades, por hora, aquele poço liberta 30 a 58 mil quilos de gás metano para o ar.

Já Stephanie Pincetl, uma professora de ciências ambientais da Universidade da Califórnia citada pelo diário económico francês “La Tribune”, garante que o impacto ambiental é “incomparável e catastrófica”: “[A quantidade de gás metano libertada desde que a fuga começou] equivale a três quartos das emissões de todas as refinerias petrolíferas da Califórnia, durante um ano”, explica.

Desde que o problema foi detetado, a 23 de outubro, milhares de residentes daquele bairro já foram deslocados, devido a problemas de saúde como dores de cabeça e náuseas. No entanto, as autoridades da saúde norte-americanas asseguram que a fuga de gás não deverá causar problemas de saúde a longo prazo

Brown já prometeu que será criado um painel independete de médicos e peritos científicos para avaliar os possíveis danos para a saúde dos moradores de Porter Ranch.