Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Atacante de Paris atuou isolado

  • 333

IAN LANGSDON / EPA

Autoridades francesas pararam as buscas em torno de um possível cúmplice do atacante que foi morto depois de tentar invadir uma esquadra em Paris

Os investigadores do ataque desencadeado esta manhã por um homem contra um comissariado da polícia francesa em Paris acreditam ter-se tratado de um ato individual. A informação foi prestada pelo porta voz do ministro francês do Interior, citado pela Associated Press.

Logo que se soube do ataque contra a esquadra, protagonizado por um homem que empunhava uma faca de cozinha e exibia um cinto de explosivos fictício, e que acabou abatido pela polícia, falou-se na possibilidade de haver um cúmplice que teria conseguido pôr-se em fuga.

A dúvida manteve-se durante cerca de duas horas, até ao momento em que Pierre-Henry Brandet, porta-voz do ministro Bernard Cazeneuve, confirmou que as autoridades deixaram cair essa linha de investigação e já não procuram outros suspeitos.

  • “Eles morreram para nós podermos viver em liberdade”

    Pouco antes de um homem armado ter tentado invadir uma esquadra da polícia em Paris, o presidente francês lembrou as vítimas do ataque ao Charlie Hebdo. “É preciso que os procedimentos das forças de segurança sejam adaptados à ameaça terrorista”

  • Polícia abate atacante de esquadra em Paris

    Homem armado com uma faca e que transportava um cinto de explosivos fictício foi morto a tiro quando tentava entrar no comissariado da polícia do 18.º bairro de Paris. Ataque ocorreu pouco depois de François Hollande ter discursado e revelado o reforço da luta contra o terrorismo