Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

E se recebesse mais de €20 mil para não sair durante um ano da cidade onde vive?

  • 333

... e tudo em nome da arte. Elle Harrison, uma artista que reside em Glasgow, está proibida de sair da cidade entre 1 de janeiro e 31 de dezembro deste ano, num projeto que tem por objetivo “ver o que pode acontecer se ela investir todo o seu tempo e energia numa cidade em particular”. A internet está perplexa

Qual é a sua definição de arte? Talvez não seja a mesma da agência artística escocesa Creative Scotland, que está a espantar muitos internautas. Isto porque a agência decidiu dar a Elle Harrison, uma artista londrina a viver em Glasgow, 15 mil libras (mais de 20 mil euros) para... viver em Glasgow (e não sair da cidade).

Elle, de 36 anos, tornou-se famosa na internet depois de propor à agência um projeto artístico invulgar, batizado “The Glasgow Effect”. Segundo relata o website norte-americano Buzzfeed, o projeto consiste em obrigar a artista a permanecer dentro dos limites da cidade de Glasgow de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2016 para “ver o que pode acontecer se ela investir todo o seu tempo e energia numa cidade em particular”. A excepção acontece se morrer um parente ou amigo próximo, esclarece Elle no site dedicado ao projeto.

De acordo com a justificação dada pela Creative Scotland, o projeto promete pôr em causa a necessária mobilidade de um artista ou académico de sucesso. Como tal, cita o Buzzfeed, a experiência vai permitir a Elle “reduzir a sua pegada ecológica e aumentar o seu sentimento de pertença, encorajando-a a explorar e criar oportunidades locais”.

O mais insólito nesta situação é mesmo o dinheiro que Elle vai receber para levar a cabo o projeto. Nas redes sociais, as reações não se fizeram esperar e foi até criado um site que diz ao utilizador as várias coisas que se podem fazer (e comprar) com 15 mil libras em Glasgow (se for àquela cidade e tiver esse valor à mão, fique a saber que pode comprar 2 mil garrafas de vinho Buckfast, 10.791 cheeseburgers duplos no McDonald's ou, defendem os criadores do site, criar “um projeto artístico a sério”).

No evento do Facebook dedicado a promover o projeto, há uma sondagem virtual com propostas semelhantes:

Noutra sondagem virtual, criada na mesma página do Facebook, os utilizadores podem dizer o que pensam sobre o “Glasgow Effect” - sendo que a resposta mais votada é “pretensioso e uma perda de dinheiro”:

Face às reações negativas dos habitantes de Glasgow, a Creative Scotland já divulgou um comunicado em que justifica a aprovação do projeto: “Elle é uma artista reconhecida. (...) O seu projeto baseia-se na premissa de que se a sociedade deseja atingir uma mudança global, os indivíduos devem ser mais ativos nas suas comunidades locais”. A agência esclarece ainda que “quando o projeto for completado” vai ser requerida uma avaliação como condição para a atribuição das 15 mil libras em causa.

Mas também há quem defenda a artista. Este utilizador em baixo diz-se desiludido com os habitantes de Glasgow devido aos comentários negativos que têm surgido nas redes sociais, que diz ilustrarem “uma fraca reação às ideias artísticas modernas”: