Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Erdogan em mais uma polémica e “um exemplo distorcido”

  • 333

ADEM ALTAN/ Getty Images

O presidente turco referiu a Alemanha nazi como um exemplo de que é possível viver sob um sistema presidencial e manter a estrutura unitária do Estado. Erdogan foi criticado e a presidência já veio dizer que tudo não passou de uma distorção das palavras

Recep Tayyip Erdogan volta a estar no centro da polémica. Desta vez, regressando da visita oficial à Arábia Saudita, o presidente turco foi questionado sobre se era possível num sistema presidencial manter a estrutura unitária do Estado. Erdogan respondeu afirmativamente e até deu um exemplo: “Basta olhar para o Hitler na Alemanha”.

“Há exemplos disso mesmo no mundo. Basta olhar para o Hitler na Alemanha. Existem também exemplos mais recentes em outros países”, respondeu Erdogan, citado pela agência Dogan.

Segundo a agência Reuters, após as declarações, o presidente turco foi bastante criticado. Entretanto a presidência da Turquia já veio justificar as palavras do presidente, garantindo que o exemplo foi mal interpretado: “A metáfora 'Hitler na Alemanha' foi distorcida por algumas fontes de informação e utilizada no sentido contrário”.

O comunicado esclarece que um “sistema abusivo leva à má gestão” e acaba por ter resultados desastrosos tal como “aconteceu com Hitler na Alemanha”. No mesmo texto, a presidência considera ainda ser “inaceitável” que as fontes de informação tenham interpretado que Erdogan achasse a Alemanha nazi um bom exemplo.

“Há bons e maus exemplos do sistema presidencial e é importante deixar as coisas bem claras. A Alemanha Nazi, desprovida de disposições institucionais adequadas, foi obviamente um dos mais vergonhosos exemplos da história”, acrescentou um responsável turco, citado pelo jornal britânico “The Guardian”.

Recep Tayyip Erdogan, do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), quer alterar a constituição da Turquia, de forma a transformar o papel do presidente num chefe e executivo e menos numa figura meramente cerimonial.