Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tiroteio em Israel. Jovem suspeito recebeu tratamento psiquiátrico no passado

  • 333

JACK GUEZ/ Getty Images

Jovem suspeito de abrir fogo sobre esplanada em Israel, matando duas pessoas, recebeu tratamento psiquiátrico no passado e esteve envolvido em vários episódios de agressão. Em 2007, foi condenado a cinco anos de prisão por tentar roubar uma arma a um militar

Helena Bento

Jornalista

O jovem de 29 anos suspeito de abrir fogo sobre a esplanada de um bar no centro de Tel Aviv, em Israel, matando duas pessoas e ferindo outras sete, tem um historial de doença mental e violência.

"Nós sabemos que ele esteve a receber apoio psiquiátrico, mas ultimamente não temos tido notícias dele. Não era casado e nós sempre suspeitámos de que era instável", disse uma fonte da família do jovem ao diário israelita "Haaretz".

O ataque desta sexta-feira, que teve lugar às 15h00 locais (17h00 em Lisboa), na esquina das ruas Gordon e Dizengoff, uma movimentada artéria de bares e restaurantes, não terá sido o seu primeiro episódio de violência.

Em 2007, o jovem árabe tentou roubar uma arma de um soldado e foi condenado a cinco anos de prisão. A sua família recorda vários episódios de agressão - de que as autoridades tinham conhecimento - já depois de ter sido libertado.

Há dez anos, um primo do jovem suspeito foi morto pela polícia. Os primeiros sintomas de depressão começaram a aparecer pouco tempo depois, revelou a mesma fonte.

Depois de abrir fogo sobre a esplanada do bar, o jovem pôs-se em fuga a pé. Está em curso uma caça ao homem.

  • Dois mortos em tiroteio no centro de Tel Aviv

    Um indivíduo vestido de negro - que já foi identificado - abriu fogo sobre os clientes que se encontravam na esplanada de um bar no centro de Tel Aviv, a capital de Israel. Duas pessoas morreram e pelo menos sete ficaram feridas. Hipótese de ataque terrorista ganha cada vez mais peso