Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Dois mortos em tiroteio no centro de Tel Aviv

  • 333

JACK GUEZ / Getty Images

Um indivíduo vestido de negro - que já foi identificado - abriu fogo sobre os clientes que se encontravam na esplanada de um bar no centro de Tel Aviv, a capital de Israel. Duas pessoas morreram e pelo menos sete ficaram feridas. Hipótese de ataque terrorista ganha cada vez mais peso

Um homem armado com uma pistola automática aproximou-se da esplanada de um bar no centro de Tel Aviv e abriu fogo, matando pelo menos duas pessoas e ferindo outras sete, segundo o diário israelita "Haaretz". Duas delas encontram-se em estado muito grave.

O tiroteio ocorreu esta sexta-feira às 15h00 locais (13h00 em Lisboa) em frente a um bar, o "Simta", na esquina da rua de Dizengoff e a de Gordon, segundo avança a polícia israelita. Dizengoff é uma das ruas principais de Tel Aviv e fica numa área de lojas, cafés e onde várias pessoas se concentram.

A polícia já identificou o suspeito do ataque. Trata-se de um árabe israelita de 29 anos, residente em Wadi Ara, uma localidade próxima da cidade de Haifa, no norte do país. O jovem terá roubado a arma ao pai, que trabalha como segurança, e este, depois de ter visto as imagens na televisão e reparado que a sua arma desaparecera, alertou imediatamente as autoridades.

Segundo Nati Shakked, um dos proprietários do bar, o jovem de 29 anos esteve sentado durante algum tempo num banco da rua, "como se estivesse à espera de alguma coisa". Tesmunhas no local descreveram-no como um "homem de pele clara e com um aspeto que não do Médio Oriente". Estava vestido de preto e com óculos de sol, mas com o rosto descoberto.

Dentro do bar estavam vários jovens a beber cerveja e a celebrar o aniversário de um amigo. O atacante terá disparacado cerca de dez tiros.

As duas vítimas mortais também já foram identificadas. Trata-se de Shimon Ruimin, nascido na cidade de Ofaqim, sul de Israel, e Alon Bakal. Os dois encontravam-se na esplanada do bar.

As autoridades israelitas mandaram encerrar os estabelecimentos e vedar a área onde ocorreu o incidente e estão - à data desta publicação - a tentar capturar o suspeito, realizando buscas em todos os edifícios localizados nas imediações.

Entretanto, foi encontrado um exemplar do Corão na mochila que o atirador transportava e que deixou ficar na loja em que esteve antes do ataque. A polícia não exclui a hipótese de se tratar de uma "manobra de distração", informa o israelita "Haaretz".

Os motivos que terão levado a este ataque não são conhecidos: ainda não se sabe se este será mais um episódio dos confrontos entre judeus e palestinianos ou se se trata de um atentado terrorista. A segunda hipótese tem sido, porém, mais defendida. Investigadores estão a falar com as vítimas para perceber os motivos que podem estar na base deste incidente.

O mayor de Tel Aviv, Ron Huldai, pediu aos residentes para “estarem alerta”, sublinhando - citado pelo “Business Insider” - que este “parece ser [um ataque] nacionalista, mas ainda não é claro” qual foi o motivo.

[Notícia atualizada às 19h00]