Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Soldados e polícias belgas suspeitos de estarem em orgia enquanto colegas procuravam terroristas

  • 333

Enquanto alguns agentes patrulhavam as ruas, outros divertiam-se numa festa que está a dar que falar

JOHN THYS/AFP/Getty Images

Orgia terá decorrido numa esquadra. Polícia belga já declarou ter iniciado uma investigação. Caso remonta a uma altura em que Bruxelas estava sob alerta máximo de terrorismo

Em novembro, depois dos ataques de Paris, Bruxelas viu-se no olho do furacão: a cidade ficou sob alerta máximo de terrorismo e a maior parte das pessoas que circulavam nas ruas eram agentes e soldados destacados para patrulhar a capital belga, uma vez que estes estariam encarregados de vigiar a cidade dia e noite. Certo? Mais ou menos, diz a polícia belga.

Acontece que os soldados destacados para vigiar a capital belga pernoitaram, durante estas duas semanas, num posto da polícia. A proximidade entre os militares e os agentes terá sido considerável, uma vez que, terminada a operação, os soldados decidiram organizar uma festa para agradecer aos polícias que os acolheram. O resultado foi, suspeitam os cargos mais altos da polícia belga... uma orgia.

“Lançámos uma investigação para descobrir exatamente o que se passou”, explica o porta-voz da polícia, Johan Berckmans, citado pelo jornal belga “La Derniere Heure”. Tudo porque se suspeita que polícias e militares tenham aproveitado a festa em que se encontravam, enquanto outros colegas patrulhavam a cidade em busca de terroristas, para terem relações sexuais.

De acordo com a polícia belga, duas agentes policiais e oito soldados terão estado na festa, que ocorreu num posto da polícia situado em Gashoren, perto de Bruxelas e do bairro de Molenbeek, onde decorreu grande parte das buscas pelos suspeitos de Paris.

Na altura em que tudo terá acontecido, escolas, lojas e transportes encontravam-se encerrados em Bruxelas, devido ao alerta máximo de terrorismo em que a cidade se encontrava. No entanto, e se a acusação se provar verdadeira, nem todos os agentes e soldados incumbidos de proteger os residentes e turistas de Bruxelas estariam naquela noite a cumprir essa missão.

  • Alerta máximo: Bruxelas tenta não falhar o Natal

    O metro e as escolas voltam a abrir amanhã. É grande a expectativa para saber se serão um contributo para o regresso “à normalidade”. No centro da capital belga, os comerciantes anseiam por mais movimento. O Mercado de Natal está à porta

  • Bruxelas. “Não há de acontecer nada se Deus quiser”

    O medo existe? Sim. O pânico? Não. Bruxelas em alerta máximo traduz-se num reforço enorme de polícias e militares nas ruas. A movimentação das sirenes por toda a cidade deixa claro que a investigação prossegue para desmantelar redes terroristas e evitar possíveis ataques