Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Síria. Mais de 2300 mortos em três meses de ataques russos

  • 333

AMER ALMOHIBANY/AFP/Getty Images

Observatório Sírio dos Direitos Humanos contabiliza 792 vítimas civis, entre as quais 180 crianças e 116 mulheres

Os bombardeamentos aéreos da Rússia na Síria ao longo dos últimos três meses fizeram 2371 mortos, perto de um terço dos quais civis, informou esta quarta-feira a organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Os ataques mataram 655 membros do grupo extremista Estado Islâmico e 924 membros de outros grupos que combatem o regime, incluindo a Frente al-Nosra, o ramo sírio da Al-Qaida, precisou.

O Observatório, que recolhe informações junto de uma rede de militantes e profissionais de saúde no terreno na Síria, contabilizou 792 vítimas civis, entre as quais 180 menores e 116 mulheres.

A Rússia, que lançou a campanha militar na Síria a 30 de setembro, afirma visar nos seus bombardeamentos os 'jihadistas' do Estado Islâmico e outros "grupos terroristas", mas os países ocidentais acusam-na de atacar rebeldes considerados moderados.

Na terça-feira, os Estados Unidos acusaram a Rússia de matar centenas de civis em ataques aéreos "cegos" e de atingir instalações de saúde, escolas e mercados, depois de, na semana passada, a Amnistia Internacional ter denunciado ataques do género e considerado que os bombardeamentos contra zonas de habitação podem constituir "crimes de guerra".

O Ministério da Defesa russo reagiu afirmando que as acusações são "falsas".