Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Proibido fogo-de-artifício junto aos centros de refugiados alemães

  • 333

Autoridades germânicas consideram que o fogo-de-artifício poderia afetar os refugiados traumatizados por guerras e perseguições, além de existir risco de incêndio

As autoridades alemãs proibiram o uso de fogo-de-artifício e lançamento de petardos durante as celebrações do Ano Novo nos centros de refugiados, anunciaram esta quarta-feira as entidades autárquicas.

Autarcas das regiões de Renânia do Norte-Vestefália, Hesse e Wurtemberg decretaram a medida justificando que os efeitos do fogo-de-artifício e os petardos, típicos nesta altura do ano, podem afetar psicologicamente os refugiados que se encontram no país, traumatizados por guerras e perseguições.

"Todos aqueles que vieram de zonas de guerra associam o ruído das explosões a tiros e a bombardeamentos e podem ser afetados de forma traumática", disse um porta-voz da autoridade local da Renânia do Norte-Vestefália, Christoph Sobbler.

As autoridades referem também os perigos de incêndio associados ao uso de artefactos pirotécnicos.

De acordo com a France Press, os incêndios de origem criminosa têm-se multiplicado nas instalações de acolhimento dos refugiados sírios, na Alemanha.

A Europa, particularmente a Alemanha, recebeu em 2015 mais de um milhão de refugiados de guerra do Médio Oriente e do Norte de África.