Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cheias e mau tempo não dão tréguas no Reino Unido

  • 333

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, a cumprimentar a equipa de salvamento de Yorkshire, a região inglesa mais afetada pelo mau tempo

DARREN STAPLES

Os avisos de cheias e fortes chuvadas continuam ativos no Reino Unido. Este vai ser o mês de dezembro mais quente e, em várias regiões, mais chuvoso de sempre naquele país

“Poderá chover em 24 horas o equivalente a um mês”, dizia este sábado o secretário de Estado do Ambiente inglês, Rory Stewart, em declarações à BBC. Stewart referia-se às cheias que este fim de semana devastaram o Reino Unido e que esta quarta-feira continuam a privar milhares de lares de eletricidade e a pôr em causa a segurança de centenas de pessoas.

A imprensa britânica traça um cenário preocupante. De acordo com o diário “The Guardian”, que acompanha a situação ao minuto, neste momento há milhares de casas na Irlanda do norte que continuam privadas de eletricidade, uma vez que a região continua sob o segundo alerta mais grave de uma escala de quatro devido às fortes chuvadas que ainda a assolam.

O “Irish Daily Mirror” avança ainda que no total há mais de cinco mil casas que continuam esta quarta-feira sem eletricidade.

Avisos de cheias, chuva e vento forte

O mesmo nível de alerta é registado no norte de Inglaterra. Em Inglaterra e em Gales há neste momento quatro avisos graves relativos ao perigo de novas cheias. No total, registam-se 46 avisos específicos para diferentes regiões inglesas e 38 avisos para zonas da Escócia.

A imprensa britânica dá ainda ênfase ao caso da ponte no rio Wharfe, no norte da região de Yorkshire, que caiu esta terça-feira, dando origem a conselhos de segurança sobre a evacuação daquela zona. Segundo a Agência Ambiental inglesa, situações como esta podem colocar os habitantes em perigo de vida.

Voos cancelados

O mau tempo afeta ainda os transportes: vários voos cuja aterragem estava prevista para o aeroporto internacional de Belfast tiveram de ser desviados para Dublin na terça-feira à noite; outros foram simplesmente cancelados.

O diretor da Agência Ambiental inglesa, Philip Dilley, vai encontrar-se esta quarta-feira com algumas pessoas que se viram afetadas pelas cheias na região de Yorkshire. O responsável foi muito criticado por continuar as férias natalícias em Barbados quando as notícias das cheias começaram a surgir, mas já está de volta ao seu país.

O mês de dezembro mais quente e chuvoso de sempre

Este está a ser o mês de dezembro mais quente desde que há registos no Reino Unido. Como relata o “Guardian”, a temperatura média para Inglaterra no último mês deste ano tem rondado os nove graus centígrados, mais cinco do que a média registada no país a longo prazo.

Para algumas partes do Reino Unido, este também vai ser o mês de dezembro mais chuvoso de sempre - uma consequência da subida das temperaturas, explica o mesmo título.

A agência meteorológica britânica produziu uma animação que explica as deslocações desta tempestade, batizada como Frank:

Na manhã desta quarta-feira, este era o ponto de situação dos avisos feitos um pouco por toda a Inglaterra: