Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Primeiro-ministro iraquiano promete fim do Daesh em 2016

  • 333

Eduardo Munoz / Reuters

Após a recuperação do controlo de Ramadi, o chefe do Governo iraquiano diz que o próximo passo será a expulsão dos jiadistas de Mossul, o que constituirá um “golpe fatal” para o grupo terrorista

Dois dias depois de o governo iraquiano ter recuperado o controlo de Ramadi, o primeiro-ministro mostra-se otimista, garantindo que no próximo ano se verá o fim do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) no país.

“2016 será o ano de uma grande e vitória final quando a presença do Daesh no Iraque terminar. Pretendemos libertar Mossul [dos jiadistas] e isso será o golpe fatal para o grupo terrorista”, declarou Haider al-Abadi numa comunicação ao país.

A recuperação do controlo de Mossul será essencial, após terem sido expulsos os jiadistas de Ramadi este domingo e de Tikrit em abril, com a ajuda de combatentes das tribos locais.

O governante iraquiano tem prometido sempre erradicar o Daesh do país. “Vamos eliminar este inimigo bárbaro. Com a vontade de Deus, conseguiremos alcançar o triunfo e não aceitaremos nada menos do que isso”, afirmou Haider al-Abadi, citado pela Reuters, em maio.

O líder das operações militares, o general Ismail al-Mahlawi, alertou porém na segunda-feira que cerca de 30% da cidade continua controlada pelos jiadistas. “Não podemos dizer qie Ramadi está libertada. Ainda existem bairros sob o seu controlo e zonas de resistência”, disse o general ao “Guardian”.

Washington congratulou-se com o recuo do Daesh em Ramadi, sublinhando esperar que o grupo terrorista seja derrotado em breve no país. “A expulsão do Daesh de Ramadi pelas forças de segurança iraquianas é um significativo apsso em frente na campanha para erradicar este grupo bárbaro”, afirmou o secretário da Defesa norte-americano, Ash Carter.

Num comunicado, a Casa Branca elogiou a “coragem” e a “determinação” das forças especiais em Ramadi, defendendo que deverá assentar nessa base o caminho da coligação internacional para erradicar o Estado Islâmico.

No domingo, o governo iraquiano anunciou ter recuperado o controlo da cidade de Ramadi, após os jiadistas terem abandonado o complexo governamental estratégico local. A conquista das forças iraquianas apoiadas pela coligação internacional resultou de uma operação lançada no passado dia 22 de dezembro.

Desde essa altura várias bandeiras nacionais têm sido içadas nos edifícios governamentais da cidade.

Ramadi, capital da região de Anbar - situada a cerca de 112 km a oeste de Bagdade -, ​ estava controlada pelos jiadistas desde maio. A reconquista da cidade pelas forças iraquianas constitui uma das maiores derrotas do Daesh nos últimos meses no Iraque e na Síria e um incentivo para a expulsão do grupo terrorista da região.

  • Ramadi devolvida ao Governo iraquiano

    A tomada da cidade representa o fim de uma campanha militar iniciada na passada terça-feira, dia 22, quando o Exército iraquiano, apoiado por aviões da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, conseguiu alcançar o centro da cidade