Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mortos líderes do Daesh ligados aos ataques de Paris

  • 333

RODI SAID / Reuters

Pentágono identificou um dos mortos. Chama-se Charaffe al-Mouadan e mantinha ligações com Abdelhamid Abaaoud, apontado como mentor dos atentados de Paris. Operação militar decorreu na véspera de Natal

Os EUA anunciaram esta terça-feira que 10 dirigentes do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) morreram em bombardeamentos aéreos no Iraque e na Síria. Entre os mortos encontram-se alguns responsáveis do grupo terrorista que estiveram envolvidos nos atentados de Paris, a 13 de novembro, e outros que estavam a preparar futuros ataques nos países do Ocidente.

“Ao longo do último mês matámos 10 figuras da liderança do Daesh, incluindo vários autores de planos de ataques no exterior, alguns dos quais estiveram ligados aos atentados de Paris”, declarou o coronel Steve Warren, porta-voz do Pentágono, citado pela BBC. “Outros estavam designados para atacar mais o Ocidente”, acrescentou.

O militar identificou um dos mortos. Chamava-se Charaffe al-Mouadan, tinha 27 anos, e mantinha ligações com Abdelhamid Abaaoud, apontado como o mentor dos atentados de Paris, que morreu durante uma operação policial num apartamento em Saint-Denis. Charaffe al-Mouadan morreu na véspera do Natal, de acordo com a mesma fonte.

Era também conhecido pelo apelido 'Souleymane' e foi precisamente este dado que conduziu os investigadores ao suspeito. O "Guardian" refere que um dos sobreviventes do Bataclan ouviu um dos atacantes - Ismaël Omar Mostefaï - a referir o apelido.

Charaffe al-Mouadan e Abdelhamid Abaaoud eram amigos de longa data. Os dois terão viajado várias vezes para o Iémen e para o Afeganistão, sendo que em 2013 al-Moadan terá rumado para a Síria.

Um ano antes chegou a ser acusado de "conspiração para cometer ataques terroristas" mas depois as autoridades perderam-lhe o rasto.

Outro dos líderes do Daesh morreu durante bombardeamentos aéreos no passado dia 26 de dezembro em Mossul. Abdul Qader Haki terá conduzido as operações do grupo terrorista no estrangeiro d, tendo também estado envolvido nos ataques de Paris.

O porta-voz do exército norte-americano garantiu ainda que os líderes do Daesh serão apanhados e mortos à medida que se forem identificando os membros que estão a planear ataques. A coligação internacional intensificou os bombardeamentos aéreos no Iraque e na Síria após os atentados de Paris, que causaram 130 mortos.