Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Marinha norte-americana já não vai usar robô da Google

  • 333

Apesar de andar e correr em terrenos planos ou inclinados e poder transportar cerca de 180 quilos, o LS3 é considerado muito ruidoso

A Marinha norte-americana já não vai usar o robô da Google, que prometia ajudar a transportar armas e mantimentos em terrenos difíceis. Em causa está o ruído elevado causado pelo aparelho.

Há alguns meses que a Marinha norte-americana estava a testar o robô, desenvolvido pela Boston Dynamics, uma empresa detida pela Google, em conjunto com a equipa da Agência de Pesquisas Avançadas de Projetos de Defesa (DARPA) do Pentágono.

Designado LS3, o robô assemelha-se a uma mula e é capaz de andar e correr em terrenos planos ou inclinados - ao contrário de outros veículos - e pode transportar cerca de 180 quilos.

Mas, apesar das potencialidades do aparelho, o ruído do motor movido a gás constitui um aspeto negativo para a Marinha. O porta-voz dos marines, Kyle Olson, fala em “limitações próprias” do robô.

Antes do LS3, a Boston Dynamics desenvolveu o Spot, um cão-robô, controlado por um motor eléctrico, que é capaz de carregar cerca de 18 quilos. Apesar de o objeto oferecer as mesmas vantagens de andar, correr, subir escadas ou terrenos acidentados e de ser mais silencioso, o limite de transporte e a tecnologia menos avançada são consideradas desvantagens.

Em setembro, os Marines efetuaram testes na floresta do Quantico, no estado da Virginia com o Spot e verificaram essas limitações.

No entanto, Kyle Olson diz que a instituição não descarta a utilização de tecnologia com mais autonomia, como os drones, em articulação com a tecnologia dos robôs LS3 ou do Spot. “Nós temos tendência a experimentar coisas que são fantasiosas e estranhas. Aprender com este robô foi importante, e ainda estamos a aprender”, disse o porta-voz dos Marines ao site Military.