Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Atentado no Paquistão faz pelo menos 22 mortos

  • 333

Há registo de mais de 30 feridos, alguns deles encaminhados para o hospital em Peshawar

ARSHAD ARBAB

Um bombista suicida explodiu junto de um edifício governamental em Mardan, no Paquistão. Há registo de 34 feridos e o ataque já foi reinvindicado por um grupo armado ligado aos talibãs

Um atentado suicida numa delegação governamental no Paquistão, esta terça-feira, causou pelo menos 22 mortos, segundo informação avançada pela BBC e pela Reuters. O balanço do número de mortos tem vindo a ser atualizado.

Relatos apontam para que o bombista tenha entrado de mota pelo portão da National Database and Registration Authority em Mardan, local onde se fazem bilhetes de identidade.

A polícia já confirmou a morte de 22 pessoas, de acordo com a Reuters, para além de 34 feridos. Já a BBC avança ainda que a maior parte dos mortos e feridos é civil.

“Um bombista suicida que conduzia uma mota com explosivos foi contra o edifício em Mardan, onde um grande número de pessoas aguardavam em fila”, afirmou à Reuters um membro da polícia, Naeem Khan.

Jamaat-ul-Ahrar, um grupo armado militante que chegou a separar-se dos talibãs no Paquistão em 2014 e que entretanto voltou a juntar-se à insurgência talibã, disse ter levado a cabo este atentado.

Saeed Wazie, da polícia paquistanesa, disse à BBC que se o atacante não tivesse sido parado por um segurança junto ao portão, o atentado poderia ter atingido mais pessoas. Wazie avançou ainda que o bombista levava consigo 12 quilogramas de material explosivo.

Mardan fica a 50 quilómetros a noroeste de Peshawar, onde em dezembro de 2014 ocorreu o massacre numa escola, que matou 150 pessoas.

[notícia atualizada às 12h39]