Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Itália. Circulação de carros limitada devido à poluição

  • 333

Twitter

Em Pequim já foram emitidos dois alertas vermelhos por causa de altos níveis de poluição. Agora é a vez de Itália tomar medidas face ao aumento de componentes poluentes no ar. Nos próximos dias, a circulação de carros está proibida em cidades como Roma e Milão durante pelo menos seis horas diárias

Várias cidades italianas, incluindo Roma, decidiram limitar, a partir desta segunda-feira, a circulação de automóveis devido a uma anormal concentração de partículas potencialmente perigosas no ar. As medidas são válidas durante esta semana.

A proibição de circulação “é uma resposta a uma emergência excecional”, explicou o presidente da câmara de Milão, Giuliano Pisapia, em declarações ao jornal “La Repubblica”.

Em Milão e Pavia, no norte de Itália, as autoridades decidiram proibir a circulação automóvel até quarta-feira, entre as 10h e as 16h.

“A medida de condicionamento não bloqueia a cidade, mas é um forte elemento dissuasor”, considerou o autarca.

“Não se vê nem meio carro. Milagre”, disse um habitante de Milão, na rede social Twitter, em reação às medidas implementadas na cidade.

Na capital italiana, Roma, o tráfego automóvel está suspenso em dois horários, entre as 7h30 e as 12h30 e entre 16h30 e as 20h30, e dependente das matrículas dos veículos - os carros com matrícula ímpar não estão autorizados a circular durante esta segunda-feira, enquanto os carros com matrícula par estão sujeitos a condicionamentos na terça-feira. Em Bergamo, esta medida também está a ser aplicada.

Em Nápoles, no sul de Itália, apenas os veículos que respeitem as normas de emissões europeias Euro IV e níveis superiores podem circular esta semana na cidade.

Para incentivar o uso de transportes públicos, a maioria das cidades italianas decidiu criar um bilhete diário, no valor de 1,50 euros.

A ausência de chuva ou de vento durante várias semanas provocou uma acumulação anormal de partículas finas no ar em várias regiões italianas. Em algumas zonas foi ultrapassado o nível de alerta recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), 50 mg / m3.

Em Milão, o nível de acumulação de partículas chegou a atingir em meados de dezembro os 102 mg/m3. Esta segunda-feira, a cidade registou o 32.º dia consecutivo sob estes limites de poluição e o 97.º dia em termos anuais.

Perante a atual situação, o ministro do Ambiente italiano, Gian Luca Galletti, anunciou a realização na quarta-feira de uma reunião com os responsáveis de várias cidades italianas para tentar coordenar medidas contra a poluição.