Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Senegal. Polícia detém 11 pessoas que participaram em casamento homossexual

  • 333

SEYLLOU/ Getty Images

Os dois noivos estão entre os detidos. As autoridades apreenderam ainda os anéis de casamento e outros objetos não especificados. No Senegal, o matrimónio entre duas pessoas do mesmo sexo é considerado um ato “impróprio ou antinatural”, punível com prisão efetiva até cinco anos e multas até três mil dólares

A polícia do Senegal deteve 11 pessoas por terem participado numa cerimónia simbólica que representava um casamento entre pessoas do mesmo sexo, prática que a legislação senegalesa penaliza, indicou hoje a imprensa local.

Segundo os relatos dos jornais, os factos ocorreram sexta-feira numa escola de Kaolack, 200 quilómetros a sul de Dacar e já na província de Casamança, quando a polícia interrompeu o ato de união de dois homens e apreendeu os anéis de casamento e outros objetos não especificados.

Entre os 11 detidos estão os dois noivos.

A polícia continua, porém, à procura de alguns dos "assistentes" do casamento que não foram detidos na altura e que acabaram por fugir.
Em 2008, as forças da ordem senegalesas prenderam um casal do mesmo sexo que estava a casar no município de Mbao, nos arredores de Dacar.

O Código Penal do Senegal prevê penas de prisão efetiva até cinco anos e multas até 3 mil dólares (2.735 euros) a quem concretizar atos "impróprios ou antinaturais com uma pessoa do mesmo sexo".

Em agosto último, um tribunal de Dacar condenou a seis meses de prisão sete pessoas acusadas de "praticar homossexualidade".