Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Carta enviada da Alemanha só dizia “Inglaterra” no endereço. Dois dias depois, foi entregue ao destinatário

  • 333

Peter Macdiarmid/ Getty Images

E assim se voltou a confirmar a lendária fama detectivesca do venerável Royal Mail, agora privatizado

Luís M. Faria

Jornalista

É uma daquelas histórias perfeitas para alimentar o espírito festivo. Amigos que um inglês chamado Paul Biggs tinha na Alemanha enviam-lhe um postal de Natal. Infelizmente, no envelope, onde devia ler-se o endereço, consta uma só palavra: Inglaterra. O postal foi remetido na passada segunda-feira. Dois dias depois, o carteiro entrega-o nas mãos de Biggs.

Parece milagre, mas na verdade é o resultado de uma invulgar diligência profissional. O postal, quando foi enviado a partir de Bittburg, tinha certamente um endereço de receção. Mas este caiu do envelope em algum momento. Quase de certeza já em Inglaterra, dado que foi logo parar a Longlevens, a zona da cidade de Gloucester onde vive Biggs.

A dificuldade terá sido encontrar a pessoa concreta a quem o correio se destinava. Aí entra o empenho do carteiro. Na passada quarta-feira, ele abordou Biggs perguntando-lhe se estava à espera de alguma carta da Alemanha. Biggs, surpreendido, respondeu que de facto tinha lá amigos, e quando examinou o envelope (que não havia sido aberto, garante), reconheceu o endereço.

Assim se esclareceu a situação. O ex-militar de 72 anos ficou contente por velhos amigos se lembrarem dele. O carteiro, que tinha andado a repetir a mesma pergunta durante a sua ronda, ganhou logo uma garrafa de vinho pelos seus esforços. E os correios britânicos, uma instituição com cinco séculos que acabou de ser privatizada este ano, confirmou que mantém intactos os seus famosos brios detectivescos em matéria de correio extraviado.