Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sanchez: “Nunca negociarei nada que afete a integridade territorial de Espanha”

  • 333

SERGIO PEREZ/ Reuters

O líder do PSOE assumiu que só negociará à esquerda se o referendo da Catalunha for excluído. Se a esquerda insistir no tema, fica bloqueada qualquer possibilidade de entendimento

O secretário-geral do PSOE, Pedro Sanchez, inviabilizará qualquer projeto do Podemos sobre a divisão territorial de Espanha e defendeu, se vier a formar Governo, um pacto de governabilidade que exclua um referendo sobre a autodeterminação da Catalunha.

Numa entrevista publicada este sábado no diário espanhol El Pais, Sanchez disse que tem por objetivo "unir" o PSOE num "pacto das esquerdas", mas desde que "se respeite a integridade territorial" de Espanha, dando indicações de que não votará favoravelmente um Governo do Partido Popular (PP) liderado por Mariano Rajoy, vencedor das eleições de 20 deste mês.

"Nunca negociarei nada que afete a integridade territorial de Espanha", sublinhou o líder socialista espanhol, indicando que já comunicou essa decisão ao secretário-geral do Podemos, Pablo Iglésias.

Sanchez advertiu que se Iglésias quiser abordar a questão, os dois nunca chegarão a um acordo e ficará assim bloqueada qualquer possibilidade de entendimento.

Os limites para dar início a negociações com outras forças políticas serão apresentados no Comité Federal do PSOE, marcado para segunda-feira, embora esteja prevista para hoje uma reunião informal com os dirigentes regionais com o intuito de reforçar esse consenso.

Vários "barões" do PSOE, nomeadamente os da Andaluzia, Castilha-La Mancha ou Estremadura, manifestaram-se já contra a possibilidade de Sanchez se apoiar no Podemos, que exige o referendo na Catalunha, para formar Governo no caso de o presidente do executivo em funções, Mariano Rajoy, não o conseguir formar.