Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Iraque lança ofensiva para reconquistar Ramadi ao Estado Islâmico

  • 333

Ramadi foi tomada pelas forças do Daesh no passado mês de maio

AHMAD AL-RUBAYE

O Governo iraquiano pediu aos civis que residem em Ramadi para deixarem a cidade num período máximo de 72 horas. Os extremistas já avisaram que planeiam usar estas famílias como “escudos humanos”

As forças iraquianas estão a avançar em direção ao centro da cidade de Ramadi, que está sob controlo do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh). A informação é avançada pelo porta-voz do serviço de contraterrorismo daquele país, Sabah al-Numani, citado pela BBC.

De acordo com as informações confirmadas pelo responsável, as forças de segurança enviadas pelo Governo do Iraque estão a avançar em direção às instalações do Executivo naquela zona.

Como preparação da ofensiva que está a decorrer, as forças iraquianas sobrevoaram a cidade durante este domingo para lançar folhetos com informações sobre a operação, de modo a alertar os civis para que deixem Ramadi dentro de 72 horas através de vias seguras.

O Ministério da Defesa iraquiano explica, no entanto, que o Daesh planeia uma retaliação: “Temos informação de que [os extremistas] estão a impedir as famílias de deixarem a cidade porque planeiam usá-las como escudos humanos”, revela, citado pela BBC. No entanto, fonte do mesmo Ministério realça que desde domingo “já houve famílias que conseguiram escapar ao Daesh”.

A cidade de Ramadi, capital da província de Anbar, situa-se a 90 quilómetros de Bagdade, capital do país, e foi tomada pelos extremistas em maio deste ano. Agora, as forças enviadas pelo Governo iraquiano tentam recuperar a cidade, numa ofensiva a decorrer esta terça-feira mas que já teve início no mês passado, quando conseguiram cercar a cidade.

Na altura, as autoridades iraquianas celebraram a reconquista da área de Al-Tameem, que aconteceu “depois de uma batalha feroz contra homens armados do Daesh”, garantiu Sabah Al-Numani à AFP.

180 mil deslocados

De acordo com a estimativa avançada por fontes governamentais daquele país, ainda se encontram 250 a 300 militantes do Daesh dentro dos limites de Ramadi.

As Nações Unidas que mais de 180 mil pessoas tenham sido obrigadas a deixar as suas residências desde que o Daesh começou a cercar a cidade, em abril deste ano.