Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Helmand está à beira de voltar a domínio talibã

  • 333

Efetivos do exército afegão patrulham a província de Helmand

WATAN YAR

Um ano após a retirada das forças da NATO, o exército afegão está desesperado para manter o controlo de Sangin, na província de Helmand

Cristina Peres

Cristina Peres

Jornalista de Internacional

Morreram seis soldados norte-americanos esta terça-feira num ataque suicida perto do aeródromo de Bagram. As forças talibãs têm provocado baixas significativas também no exército afegão, tendo abatido 90 soldados em dois dias de ataques persistentes. A ofensiva talibã quase conseguiu recuperar o total controlo da cidade de Sangin, na província de Helmand.
À beira de voltar agora a ser um bastião talibã, Sangin foi palco de muitos combates sangrentos entre militantes talibã e tropas americanas, britânicas e outros aliados da NATO. Foi nesta cidade que morreu um terço dos soldados britânicos em missão no Afeganistão, perto de uma centena.
A queda de pontos-chave dentro e em torno da cidade nestes domingo e segunda-feira acontecem quando passa um ano sobre a retirada das tropas da NATO do Afeganistão. Desde então, os talibãs têm voltado a fazer repetidas incursões em Helmand e no resto do território.
Citando fontes do ministério da Defesa britânico, o diário “The Guardian” relata o envio de tropas britânicas destacadas para ajudar as forças locais, ainda que com um papel de aconselhamento e não de particiapção efetiva em combate.
“Este pessoal faz parte de uma equipa alargada da NATO que dá aconselhamento ao exército afegão. Não atuarão fora do Campo Shorabak, em Helmand”, revelou um porta-voz do ministério.
O porta-voz do ministério da Defesa afegão, Dawlat Waziri, informou os media de que tinham sido enviados reforços - incluindo comandos e forças especiais - e que a força aérea tinham realizado 160 voos de transporte de combate para Sangin nas 48 horas anteriores.