Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Falso alarme. Encontrado na praia o turista britânico dado como desaparecido na Tailândia

  • 333

Após estar sem contactar a família vários dias, Jordan Jacobs enviou uma mensagem aos pais, em que dizia estar numa ilha e que um homem não o deixava sair. Afinal, não havia razão para alarme. Envergonhado com a situação, lamenta agora a preocupação que causou

Apareceu, são e salvo, o britânico dado como desaparecido na Tailândia. Jordan Jacobs, de 21 anos, tinha enviado uma mensagem aos pais em que afirmava que um homem o tinha levado para uma ilha e não o deixava sair, mas, afinal, tudo não passou de um falso alarme.

"Qualquer informação, por mais pequena que pensem que possa ser, poderá ser enorme. Qualquer observação ou potenciais avistamentos. Qualquer contacto. Qualquer coisa." Assim escrevia no seu Facebook, desesperada, Emily Jacobs, a irmã do suposto desaparecido, procurando ajuda.

O caso ficou esclarecido, embora se revelasse muito diferente do que parecia, e o britânico sente-se agora culpado pela preocupação que causou à sua família. Segundo o jornal "The Guardian", estava até a "divertir-se muito". Jordan Jacobs, oriundo de Lyneham, em Whiltshire, no Reino Unido, estava desaparecido há cinco dias, quando comunicou com os seus pais, através de uma mensagem em que dizia que um homem não o deixava sair da ilha tailandesa Phi Phi. Antes disso, sabia-se apenas que tinha sido visto pela última vez no sábado, na ilha mais conhecida do arquipélago.

A mensagem que Emily publicou no Facebook referia que o irmão tinha deixado o hostel onde se encontrava, saindo sem os amigos, também viajantes. Segundo conta o "The Guardian", Jordan tinha conhecido um homem numa lavandaria perto do hostel e este ter-lhe-ia oferecido boleia gratuita para a ilha Phi Phi. A mensagem para os pais foi enviada nessa mesma noite.

Só não sabia se ia passar o Natal em casa

Jordan começou por usar o Facebook para dizer que nunca mais iria estar com a família “e que estava arrependido por não conseguir ver os pais mais nenhuma vez, mas que os amava", contou a irmã ao "Mail Online". Dizia também que tinha medo do homem que não o deixava sair.

A mãe, angustiada, pediu que ele entrasse em contacto com a família. Horas mais tarde, Jordan disse então que estava com o tal homem tailandês e que não podia sair, acrescentando que já tinha falado de mais. Foi então que a irmã recorreu às redes sociais para pedir ajuda.

O jovem britânico acabou por explicar que estava sem bateria no telemóvel há alguns dias e não fazia ideia do que estava acontecer. Só se apercebeu da situação ao aceder à internet. E pensou: "está tudo louco".

Afinal, quando Jordan disse que não sabia se voltava a casa referia-se ao facto de não saber se iria conseguir passar o Natal em familia, porque tinha uma caução paga para um curso de mergulho. O turista britânico, viaja há um ano pela Austrália e o sul da Ásia, foi encontrado pelas autoridades junto à praia e encontrava-se bem de saúde.

Em declarações ao jornal "Telegraph", o irmão de Emily agradeceu o facto de eles estarem preocupados, mas que se sentia muito culpado pela situação, uma vez que não fazia ideia do que se passava, consciente de que agora será sempre conhecido como "o rapaz que desapareceu nas férias".