Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Centenas de meninas salvas de mutilação genital no Quénia

As cerimónias em que são efetuadas mutilações ocorrem normalmente na terceira semana de dezembro, no meio das férias escolares

A polícia queniana salvou centenas de meninas de serem alvo de mutilação genital durante as cerimónias que teriam lugar este fim de semana.

A informação é avançada pelo “The Guardian”, que indica que o aumento das denúncias por parte de ativistas e funcionários estatais de regiões remotas, onde as mutilações são mais comuns, contribuiu para o êxito da atuação das autoridades.

“Nas últimas três semanas nós fizemos oito detenções. Nós apenas fizemos uma detenção durante o resto do ano”, afirmou ao jornal britânico Alasow Hussein, responsável policial de Marakwet, uma das áreas mais afetadas pela prática.

O site “AllAfrica” refere que o Governo queniano mandou perseguir os pais que permitiram que mais 1200 meninas fossem mutiladas no mercado Elgeyo, em Marakwet, e que mais de 300 conseguiram escapar, fugindo para as suas casas.

Encaradas como um rito de passagem para a idade adulta, as cerimónias têm habitualmente lugar na terceira semana de dezembro, no meio das férias escolares, para dar tempo para que as meninas recuperem da intervenção, que é efetuada com uma lâmina de barbear e sem anestesia.