Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

San Bernardino. Autoridades vão acusar comprador das armas usadas no ataque terrorista

  • 333

Syed Marook e a esposa, Tashfeen Malik, foram os autores dos ataques. Acabaram mortos durante os confrontos com as autoridades

US CUSTOMS AND BORDER PROTECTION

A acusação foi confirmada à imprensa norte-americana pelos procuradores responsáveis pelo caso e deve ser oficializada ainda esta quinta-feira. O novo suspeito era amigo e vizinho do casal de atiradores

Os procuradores responsáveis pelo caso do tiroteio em San Bernardino, na Califórnia, Estados Unidos, estão prontos para oficializar a primeira acusação no âmbito da investigação. A informação é avançada pela imprensa norte-americana e refere-se a Enrique Márquez, amigo e antigo vizinho de um dos atiradores.

As autoridades confirmaram às televisões norte-americanas NBC e CNN que vão avançar com a acusação, baseada no facto de as armas utilizadas no ataque terem sido compradas por Enrique Márquez, há três anos. De acordo com os procuradores que conduzem a investigação, Márquez confirmou ter comprado as armas como favor ao amigo, Syed Rizwan Farook, para que este não tivesse problemas no caso de ser investigado posteriormente.

Enrique Márquez já confirmou, de acordo com informações avançadas pelo FBI à NBC, ter feito planos com Farook para levar a cabo um ataque terrorista, em 2010.

Ambos os órgãos de comunicação adiantam que a acusação deverá ser oficializada ainda durante esta quinta-feira.

Casal não jurou fidelidade ao Daesh nas redes sociais

Ao contrário das informações que tinham sido avançadas pela imprensa internacional, esta quinta-feira o diretor do FBI James B. Comey declarou que os dois atacantes não juraram fidelidade ao autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) através das redes sociais. Corney acrescentou que o casal “mostrava sinais do seu compromisso com a Jihad e o martírio” através de mensagens privadas e não em mensagens públicas, como inicialmente se pensava.

A 2 de dezembro, o casal de atiradores entrou no Inland Regional Center, um centro californiano de apoio a pessoas com doenças mentais, e começou a disparar contra quem ali se encontrava, provocando um total de 14 mortos e 17 feridos. Entretanto, o Daesh já veio confirmar estar ligado a este ataque, que diz ter sido levado a cabo por “apoiantes”.

Os dois atacantes foram mortos durante os confrontos com as autoridades. Um deles era Farook, um cidadão norte-americano que era antigo funcionário daquele centro e amigo de Márquez.