Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Prémio Sakharov: mulher de poeta chicoteado e detido na Arábia Saudita foi na vez do marido

  • 333

VINCENT KESSLER / Reuters

Muito aplaudida pelos deputados europeus, Ensaf Haidar sublinhou no seu discurso que o blogger saudita é “uma voz livre num país de pensamento único”

A mulher do blogger saudita Raif Badawi recebeu esta quarta-feira o Prémio Sakharov para a liberdade atribuído pelo Parlamento Europeu, tendo comparecido em Estrasburgo em nome do marido, que está preso na Arábia Saudita por "insultar" o Islão.

Muito aplaudida pelos deputados europeus, Ensaf Haidar sublinhou no seu discurso que o marido é "uma voz livre num país de pensamento único". "No nosso país, um pensamento livre e claro é considerado como uma blasfémia. É a ideologia de algumas sociedades árabes", acrescentou.

Segundo a mulher do vencedor do Prémio Sakharov, "a sociedade (saudita) vive sob o domínio de um regime teocrático, que exige das pessoas dizer sempre que sim". Ensaf Haidar também expressou preocupação pelo "êxodo dos 'cérebros' árabes, que vão à procura de um ar mais leve noutro lugar".

"Peço aqui, novamente, que o rei Salman perdoe Raif Badawi, que o liberte sem condições e imediatamente", declarou por seu turno o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, numa declaração anterior à cerimónia de entrega do galardão.

O nome do agraciado este ano pelo Prémio Sakharov foi anunciado a 29 de outubro. Preso em 2012, Raif Badawi foi condenado, em novembro de 2014, a 10 anos de prisão, a mil chibatadas (50 por semana ao longo de 20 semanas) e uma multa pesada por insultar o Islão.

Badawi sofreu uma primeira sessão de açoitamento a 9 de janeiro deste ano (50 chibatadas), mas foram adiadas as sessões seguintes, primeiro por razões de saúde e depois por razões não determinadas.

Raif criou um website para o debate social e político, Free Saudi Liberals, considerado ofensivo para o Islão.

  • Blogger saudita vence Prémio Sakharov

    Em 2014, Raif Badawi foi condenado a 10 anos de prisão e mil chicotadas, acusado de ter insultado o Islão. Blogger defendia o diálogo político e os Direitos Humanos na Arábia Saudita