Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Irão ameaçado com novas sanções após teste com mísseis

  • 333

Fars News/Reuters

As Nações Unidas admitem a necessidade de mais sanções a Teerão, na sequência da realização de testes com mísseis em outubro

Um grupo de peritos das Nações Unidas considera que o Irão violou uma resolução do Conselho de Segurança ao realizar testes com mísseis em outubro. A comissão de sanções da ONU admite, por isso, a necessidade de mais sanções a Teerão.

“Na base destas análises e pesquisas, o painel conclui que o lançamento do míssil Emad corresponde a uma violação do parágrafo 9 da resolução 1929 do Conselho de Segurança [da ONU]”, refere o grupo num documento citado pela Reuters.

O relatório do grupo de especialistas da ONU - divulgado esta terça-feira - poderá conduzir à aplicação de mais sanções ao Irão. No entanto, essa medida dependerá também da China e Rússia, que enquanto membros do Conselho de Segurança, podem travar a decisão através do direito de veto.

Entretanto, o regime de Teerão já alertou que se forem aprovadas novas sanções contra o país, o acordo nuclear alcançado em julho poderá estar ameaçado.

Em outubro, Washington alertara para a possibilidade de o Irão estar a violar a resolução da ONU. “Temos fortes indícios de que o teste do míssil violou uma resolução do Conselho de Segurança”, afirmou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif, garantiu, por seu turno. na altura, que o país não desrespeitou a resolução das Nações Unidas, insistindo que o programa nuclear iraniano tem apenas fins pacíficos.

AIEA termina investigação

O relatório do grupo de peritos das Nações Unidas foi revelado no mesmo dia em que a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) anunciou o encerramento da investigação sobre a atividade nuclear iraniana.

“A agência não encontrou indícios credíveis de atividade relevante no Irão visando o desenvolvimento de explosivos nucleares após 2009”, disse Yukiya Amano, diretor-geral da AIEA, citado pela Al-Jazeera.

Em julho, o Irão e o grupo dos 5+1 - os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, Reino Unido, França, China, e Rússia) - e a Alemanha alcançaram um acordo sobre o programa nuclear iraniano, que previa o levantamento das sanções a Teerão, após confirmação de que a atividade nuclear do país visa apenas fins civis.