Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presos angolanos vão para casa

  • 333

VIGÍLIA. Várias centenas de pessoas juntaram-se recentemente no Rossio, em Lisboa, numa vigília pelos ativistas angolanos presos

tiago miranda

Noticia já chegou aos familiares, mas os presos só saberão esta quarta-feira de manhã que vão ser libertados

Luís Nascimento, advogado que em conjunto com Walter Tondela defende 13 dos 17 ativistas angolanos acusados da preparação de uma rebelião e de um atentado contra o Presidente angolano, confirmou ao Expresso que os 15 ativistas angolanos detidos desde junho vão poder sair da prisão esta sexta-feira e aguardar o julgamento em casa.

A decisão foi tomada pelo juiz Januário Domingos, que aceitou o requerimento do Ministério Público Angolano, no seguimento de um acórdão do Tribunal Constitucional que defende o termo da prisão preventiva, citando o novo regime jurídico das medidas cautelares em processo penal, que entra em vigor precisamente na sexta.

A noticia apanhou todos de surpresa inclusivé os próprios advogados. “Ainda não apreciamos como deve ser os documentos. Estamos satisfeitos com o acórdão, mas não estamos de acordo com os motivos alegados, porque a lei atual já admitia a liberdade provisória e os crimes de que estão indiciados não admite prisão preventiva. Em todo o caso é um sinal positivo, quando nem sequer se estava à espera e numa altura em que vários dos detidos já estavam com grandes dificuldades e com quadros de depressões profundas”, afirma Luís Nascimento. O advogado diz que já contactou os familiares de alguns dos presos, mas que estes só “serão informados esta quarta-feira de manhã”.

Adianta que “no geral os familiares estão satisfeitos” mas ao mesmo tempo “com um pé atrás”, como, aliás, os próprios advogados, que querem perceber melhor a extensão desta medida e se não significa à mesma uma prisão preventiva. Esta sexta-feira, todos os arguidos devem apresentar-se no Tribunal Provincial de Luanda.