Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Will Smith está farto de ouvir coisas bizarras. Se continuar assim, candidata-se à presidência

  • 333

“Se as pessoas continuarem a dizer tantas coisas bizarras sobre muros e muçulmanos, vão acabar por forçar-me a entrar no terreno político.” Fala Will Smith, que pode vir a ser o próximo rival de Donald Trump, Hillary Clinton ou Ben Carson: “para mim, acho que ser a maior estrela de cinema do mundo não chegou [para me realizar]”

As reações não têm parado de surgir desde que Donald Trump defendeu, na semana passada, que os muçulmanos deveriam ser impedidos de entrar nos Estados Unidos. A indignação foi tão grande que as afirmações de Trump podem ter dado origem até a uma candidatura presidencial, nem mais nem menos do que da parte do ator norte-americano Will Smith.

Foi em entrevista à estação televisiva CBS que o protagonista de “Men in Black” soltou a novidade: “Se as pessoas continuarem a dizer tantas coisas bizarras sobre muros e muçulmanos, vão acabar por forçar-me a entrar no terreno político”. Mas Will Smith foi mais específico: “Quero dizer, eu tenho de ser Presidente! Vá lá!”.

Mas o que é que motiva um ator já tão conhecido do público a lançar-se para novos voos no mundo da política? Smith responde: “As melhores coisas que já aconteceram pareciam irrealistas antes de acontecerem. Para mim, acho que ser a maior estrela de cinema do mundo não chegou”.

Embora a ideia tenha sido lançada entre risos, a verdade é que o ator pode mesmo estar a considerar esta hipótese, uma vez que já no mês passado, nos prémios The Hollywood Reporter's aWards, abordou o assunto: “Quando olho para o panorama político, penso que pode haver um futuro para mim ali. Podem precisar de mim”.

À CBS, Will Smith garante que a sua intervenção política pode trazer boas novidades: “Sinto que nalgum ponto, num futuro próximo, terei de intervir de uma forma diferente”.