Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mauricio Macri toma posse como novo Presidente da Argentina

  • 333

Getty

Portugal estará representado na cerimónia pelo ministro Adjunto Eduardo Cabrita que é portador de um carta do Presidente Cavaco Silva

O Presidente eleito da Argentina, Mauricio Macri, é empossado esta quinta-feira em Buenos Aires, numa cerimónia em que Portugal será representado pelo ministro Adjunto Eduardo Cabrita.

Segundo nota do gabinete do governante português, Eduardo Cabrita é portador de uma carta do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, e de outra do primeiro-ministro António Costa, a entregar a Mauricio Macri, manifestando a prioridade que representa o reforço das relações de amizade entre Portugal e a Argentina.

Na quarta-feira Eduardo Cabrita esteve igualmente presente na cerimónia de posse do novo chefe de Governo da Cidade de Buenos Aires, Horacio Larreta, que sucedeu no cargo a Mauricio Macri.

Ainda na quarta-feira, Eduardo Cabrita encontrou-se com membros da comunidade portuguesa na Argentina, na residência do embaixador de Portugal, e sexta-feira visita o Clube Português de Buenos Aires.

Mauricio Macri, que sucede no cargo a Cristina Fernández Kirchner - que ocupou a Presidência durante oito anos -, foi eleito à segunda volta das eleições realizadas no passado dia 22 de novembro com 51,42% dos votos, contra os 48,60% de Daniel Scioli, o candidato que era apoiado pela chefe de Estado cessante.

  • O empresário que derrotou Cristina Kirchner

    Mauricio Macri é o novo presidente da Argentina e o terceiro não peronista a conquistar o poder desde o fim da ditadura militar, em 1983. A sua não foi uma vitória plena: tendo ganho as eleições com uma vantagem de apenas quatro pontos, não conta com a maioria de deputados e senadores que lhe permitiria prescindir da negociação. Esta será a chave do seu mandato num país descontente e dividido

  • Argentina: reviravolta nas eleições e duro golpe no kirchnerismo

    Surpresa geral. Ao longo da madrugada desta segunda-feira, o apuramento dos resultados revelou um quase empate que nenhuma sondagem previu e da qual nem mesmo os candidatos suspeitaram. Pela primeira vez na História, os argentinos terão uma segunda volta para eleger o próximo Presidente

  • As presidenciais mais disputadas de sempre

    A Argentina terá amanhã a mais acesa e incerta disputa presidencial da sua História, que poderá obrigar a uma inédita segunda volta, para decidir a continuidade, ou não, do "kirchnerismo". Também há eleições para a renovação de um terço do Senado, metade da Câmara dos Deputados e os governadores de 11 das 24 províncias