Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mais de 9000 morreram no leste da Ucrânia

  • 333

Hostilidades diminuiram ligeiramente, diz o relatório, mas a situação continua complicada nas regiões controladas pelos combatentes pró-russos

ALEKSEY FILIPPOV/GETTY IMAGES

O total é avançado num relatório das Nações Unidas, que faz o balanço mais recente do conflito entre forças do Governo e combatentes pró-russos

Mais de nove mil pessoas morreram, em consequência do conflito no leste da Ucrânia, revela um relatório da ONU divulgado esta quarta-feira.

O documento da Missão de Observação dos Direitos Humanos das Nações Unidas reconhece uma “redução significativa das hostilidades em certas zonas” da região - que atribui à retirada de “algum armamento pesado pelas forças armadas da Ucrânia” e combatentes separatistas pró-russos - mas adverte que a situação continua muito complicada em áreas controladas pelos rebeldes.

Além dos 9.098 mortos registados até meados de novembro (entre civis, tropas do governo, e combatentes pró-russos), o total de feridos ultrapassa os vinte mil.

O relatório alerta para outra situação particular responsável pela morte de 47 civis, entre 26 de agosto e 15 de novembro: a existência de “resíduos explosivos de guerra e de engenhos explosivos improvisados” torna “urgente” uma operação de “extensa desminagem e ações de sensibilização em ambos os lados da linha de conflito”, pode ler-se.

  • Leste da Ucrânia à beira do caos humanitário

    O Governo ucraniano ameaça parar a retirada de armamento caso os rebeldes continuem a violar o cessar-fogo. Indiferentes a estas manobras bélicas, as populações, que regressaram entretanto às suas casas, sobrevivem com quase nada

  • Ucrânia retira armamento pesado de Donetsk

    Segundo o porta-voz militar da presidência ucraniana, a trégua, que entrou em vigor no começo de setembro, foi respeitada “de forma exemplar” nas últimas 24 horas e que “nem um só soldado ucraniano morreu ou ficou ferido”