Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

O mundo revoltou-se contra Trump. A reação dele? “Quero lá saber”

  • 333

O milionário de 69 anos continua a chocar muitos dos norte-americanos com as suas declarações polémicas

Ty Wright/Getty

Donald Trump disse que os EUA deviam impedir a entrada de muçulmanos no país e foi amplamente criticado, tanto por democratas como por republicanos

Donald Trump diz tudo o que lhe vem à cabeça e não se rala com as consequências. A prova está no discurso do pré-candidato republicano à Casa Branca, segunda-feira, na Carolina do Sul (e na reação ao mesmo).

Trump defendeu um bloqueio “completo e total” à entrada de muçulmanos nos EUA: "Sem olhar para os dados das pesquisas, é óbvio para qualquer um que aquele ódio está para além da compreensão. De onde aquele ódio vem é algo que temos de determinar", disse o magnata.

"Até se identificar e compreender o problema e a perigosa ameaça, o nosso país não pode ser vítima de horrendos ataques de gente que só acredita na 'jihad' e que não tem qualquer sentido e respeito pela vida humana", acrescentou.

As declarações polémicas valeram-lhe inúmeras críticas, tanto de democratas, como Ben Rhodes, conselheiro de Barack Obama ("o respeito pela liberdade religiosa está inscrito na nossa Declaração de Direitos"), e Hillary Clinton (“são declarações preconceituosas, que nos deixam até menos seguros”), como de republicanos, como Ted Bush (“as suas propostas não são sérias”) e Dick Cheney (“a liberdade religiosa é muito importante para nós”).

Apesar das reações adversas, Trump não recuou no discurso. A resposta do pré-candidato republicano na CNN foi simples: “I don't care”. Ou seja, “quero lá saber”.