Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Zuckerberg vai doar 99% das ações do Facebook “para melhorar o mundo”

  • 333

MARY CALVERT/ Reuters

Dia 1 de dezembro vai sempre especial para o dono do Facebook: nasceu a sua primeira filha, Max. Em jeito de homenagem, Mark Zuckerberg decidiu que criar a Chan Zuckerberg Initiative, que pretende contribuir para “o desenvolvimento humano e promover a igualdade”

“Melhorar o mundo para a nova geração”. Este é o objetivo de Mark Zuckerberg e da mulher Priscilla Chan, que anunciaram esta terça-feira que, ao longo das suas vidas, irão doar 99% das ações do Facebook. Neste primeiro dia de dezembro, o casal deu as boas-vindas à filha Max.

Numa carta dirigida à recém-nascida,os novos pais explicam que esta foi a forma encontrada de contribuir para “o desenvolvimento humano e promover a igualdade”. Para tal, criaram a Chan Zuckerberg Initiative. As doações serão essencialmente direcionadas para áreas como a “o ensino personalizado, a cura de doenças, a ligação das pessoas através da internet e a construção de fortes comunidades”.

“Estamos empenhados em fazer a nossa pequena parte e ajudar a criar este mundo para todas as crianças. Doaremos 99% das nossas ações no Facebook - atualmente valem cerca de 45 mil milhões de dólares - ao longo das nossas vidas, para ajudar muitos outros a melhorar o mundo para a nova geração”, lê-se no texto publicado na página do criador da rede social.

Mas a novidade não é sinónimo de que Zuckerberg se despeça da empresa, pelo contrário. O próprio garante que vai continuar como CEO do Facebook “por muitos e muitos anos”.

Para Max, Mark Zuckerberg e Priscilla Chan querem “um mundo melhor do que aquele em que vivemos”. E apesar das manchetes mostrarem o “pior que acontece no mundo”, há muito que está a prosperar: “A saúde está a aperfeiçoar-se. A pobreza está a diminuir. O conhecimento aumenta. As pessoas estão a ligar-se. O progresso tecnológico, a todos os níveis, significa que a tua vida será drasticamente melhor que a nossa”.

Mais detalhes ficam para “os próximos meses”, para quando a “nova família entrar no ritmo e regressar das licenças de maternidade e paternidade”. Recorde que o criador do Facebook tinha pedido dois meses para ficar com a filha, no entanto a empresa acabou por lhe dar quatro. A medida estendeu-se a todos os funcionários, em todo o mundo.

“Max, amamos-te e sentimos a grande responsabilidade de deixar o mundo um lugar melhor para ti e para todas as crianças. Que a tua vida seja preenchida com o mesmo amor, esperança e alegria que nos dás. Mal podemos esperar para ver o que trarás para este mundo”, concluem os recém pais.