Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Alemanha envia 1200 soldados para a Síria

  • 333

Angela Merkel decidiu enviar tropas para a Síria para ajudar no combate ao Daesh

Reuters

A potência germânica, que tem tido um envolvimento reduzido no conflito do Médio Oriente, integrará a missão militar na Síria em resposta ao apelo do Presidente francês François Hollande

O gabinete da chanceler Angela Merkel aprovou esta terça-feira uma missão para combater o autodenominado Estado Islâmico (Daesh) na Síria, confirma o governo em comunicado divulgado esta terça-feira. A Alemanha vai assim integrar a coligação liderada pelos EUA, e deverá enviar até 1200 soldados e aviões de reconhecimento.

O envolvimento da Alemanha no conflito do Médio Oriente tinha-se limitado, até agora, ao treino de combatentes curdos no Iraque.

A decisão está dependente da aprovação do Parlamento germânico, o que será bastante provável uma vez que a coligação da chanceler Angela Merkel possui uma maioria absoluta no hemiciclo.

No entanto, deputados da oposição de esquerda e dos Verdes já manifestaram desconfiança sobre a missão na Síria, defendendo que a batalha não poderá ser vencida pela via militar.

Na passada quarta-feira, em Londres, o primeiro-ministro britânico David Cameron agendou um debate para discutir se o país deverá ou não juntar-se aos bombardeamentos na Síria contra alvos do Daesh. Cameron afirmou que uma possível ação militar tem vindo a garantir "mais apoios" dentro do Parlamento britânico.

O partido trabalhista britânico autorizou entretanto o voto de consciência dos seus deputados sobre esta matéria, o que poderá garantir a realização da missão.

A Alemanha e o Reino Unido mostraram-se dispostos a corresponder ao apelo do Presidente francês François Hollande, que esteve reunido na semana passada com os líderes daqueles países - e também dos EUA e da Rússia - para pedir uma "grande e única coligação" contra o Daesh.