Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Três mortos no Mali num ataque a aquartelamento da ONU

  • 333

Resgate de refém ferido na sequência do ataque contra o Hotel Radisson. Bamako, capital do Mali, 20 de novembro de 2015

EPA

Um aquartelamento da ONU no norte do Mali foi atacado por rockets às 5h40 deste sábado. Morreram dois soldados da Minusma e um funcionário civil da organização

Dois soldados das Nações Unidas e um funcionário civil daquela organização internacional, morreram este sábado num acampamento das Nações Unidas no Mali, que foi atacado por um ‘rocket’'. Este aquartelamento da Minusma, a força da ONU no Mali, fica em Kidal, no nordeste do país.

A agência France Press diz que o ataque provocou mais 14 feridos. Por seu lado, o site da “France 24” diz que o ataque ao aquartelamento da ONU ocorreu às 5h40 deste sábado. Os terroristas lançaram mais de 30 rockets.

A força de Manutenção de Paz da ONU no Mali tem perto de 10 mil soldados de vários países contribuintes, sobretudo de estados vizinhos da África ocidental.

Imagens do ataque ao hotel Radisson

Imagens do ataque ao hotel Radisson

HABIBOU KOUYATE/AFP/Getty Images

A agência Lusa recorda que o norte do Mali está “sob o controle de grupos jihadistas ligados à Al-Qaeda” desde abril de 2012, “após a derrota do exército”.

Uma semana depois dos atentados do DAESH em Paris, o Grand Hotel Radisson Blu em Bamako [capital do Mali] fez 20 mortos. Cerca de 150 pessoas, entre clientes e empregados, foram feitas reféns. O ataque foi reivindicado pelo grupo jihadista Al-Mourabitoune, com a participação da Al Qaeda.