Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Piloto russo que sobreviveu a míssil turco garante que não recebeu “qualquer tipo de aviso”

  • 333

Um dos momentos da queda o avião russo

Reuters

Ao contrário do áudio divulgado esta tarde pela Turquia, onde se podem ouvir os avisos ao caça russo, o piloto que sobreviveu ao abate do SU-24 garante que o avião foi atingido repentinamente

Konstantin Murakhtin, o piloto que sobreviveu à queda do caça russo abatido terça-feira pela Turquia, garante que o aparelho não violou o espaço aéreo turco e acrescenta que o avião foi abatido sem aviso.

"Não recebemos qualquer tipo de aviso. Nem através do rádio, nem visualmente, e por isso não vimos necessidade de ajustar o nosso percurso", explica Murakhtin. O piloto encontra-se neste momento a recuperar numa base aérea russa em Latakia, norte da Síria.

"Têm de entender a diferença de velocidade de um bombardeiro tático como um SU-24 e de um F16. Se eles quisessem ter-nos avisado, podiam ter voado paralelamente ao nosso caça", acrescenta o piloto. "O míssil atingiu a parte de trás do nosso avião de um momento para o outro", diz.

As declarações de Murakhtin não batem certo com o áudio divulgado esta quarta-feira de tarde pela Turquia, e confirmado pelos militares norte-americanos, em que é possível ouvir os avisos em inglês.

Outra garantia do piloto sobrevivente é que "o espaço aéreo turco nunca foi violado": "Estávamos a seis mil metros de altitude, com o céu limpo, e eu tinha o controlo total do percurso".

Quando o avião foi abatido, o piloto Murakhtin e o capitão Sergey Rumyantsev ejetaram-se do avião, abrindo os paraquedas. O primeiro sobreviveu para contar a sua versão da história, o segundo foi morto enquanto ainda estava no ar por um grupo rebelde turcomeno na Síria que luta contra o presidente Bashar al-Assad (aliado da Rússia). A informação foi confirmada por um comandante dos rebeldes.