Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Piloto do caça abatido pela Turquia foi resgatado “são e salvo”

  • 333

STRINGER

O segundo piloto do SU-24 russo abatido pela Turquia foi resgatado pelo Exército sírio e já está “são e salvo” na base aérea russa na Síria. O comandante foi morto por “jiadistas”

O segundo piloto do avião militar russo abatido na terça-feira pela Força Aérea da Turquia “conseguiu escapar aos rebeldes, foi resgatado pelo Exército sírio" e já está "são e salvo" numa base aérea russa, informaram esta quarta-feira o embaixador da Rússia em Paris, Alexandre Orlov e o ministro da Defesa, Sergey Shoigu.

Em entrevista à Rádio Europe 1, Orlov confirmou ainda que o comandnate do SU-24 russo, que se despenhou no extremo noroeste da Síria, foi ferido quando saltava de paraquedas e morto já no solo, por um grupo de “jiadistas”.

Dois caças-bombardeiros F-16 abateram um SU-24 russo por este ter, alegadamente, violado o espaço aéreo turco, ao longo da fronteira com a Síria, não tendo respondido a dez avisos feitos durante cinco minutos.

Na entrevista Europe 1, Alexandre Orlov negou que tais avisos tivessem sido feitos, tendo acusado a Turquia de ser “cúmplice” do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) e de estar a desempenhar um papel ambíguo na guerra civil na Síria.

Entretanto, o Presidente da Rússia anunciou que o comandante do avião russo será agraciado com a mais alta distinção russa que lhe conferirá a título póstumo o estatuto de herói nacional (Estrela Dourada). O segundo piloto e todos aqueles que participaram na operação de resgate, que durou cerca de 12 horas, também serão louvados pelo Minsitério da Defesa.

Na terça-feira Vladimir Puti, assegurou que o SU-24 em nenhum momento constituiu uma ameaçava para a Turquia e que sobrevoava território sírio, a quatro quilómetros da fronteira, referindo-se ao incidente como uma “facada nas costas” que terá “consequências sérias” nas relações diplomáticas entre os dois países.

Notícia atualizada às 11h12