Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Rei da Suécia quer acabar com as banheiras

  • 333

Rei Carlos e a Rainha Sílvia da Suécia

Adam Hawalej/EPA

Carlos Gustavo, conhecido pelo seu passado libertino, ficou chocado com a quantidade de água que desperdiçou após um banho de banheira

O Rei da Suécia considera que as banheiras deviam acabar, de forma a evitar um consumo exagerado de água. Carlos XVI Gustavo, que está a tentar tornar o Palácio de Estcolmo um lugar mais ecológico, afirma que um banho numa banheira é um desperdício de água e que as pessoas deviam ser mais preocupadas com o ambiente.

Isto tudo aconteceu assim que o rei foi obrigado a tomar banho numa banheira porque não havia duche. Foi nesse momento que se apercebeu da quantidade de água e energia que utilizou desnecessariamente, ficando envergonhado com a situação.

Inicialmente o comentário parecia uma brincadeira, no entanto, o Rei da Suécia já veio esclarecer que são os pequenos detalhes que fazem a diferença. Não é a única atitude ambientalista que o monarca tem adotado nos últimos tempos. Carlos Gustavo até já trocou o seu meio de transporte para um veículo ecológico que apenas consome eletricidade.

Como aconteceu com o Príncipe de Gales, que se tornou famoso pelos sanitários ecológicos, o soberano sueco está a desenvolver um projeto que consiste em tornar o seu palácio num local mais amigo do ambiente, embora o processo seja demorado por a propriedade ser antiga.

O Rei pretende estar presente na Cimeira do Clima, que decorre na próxima semana em Paris, e participar nas negociações e na tomada de decisões ambientalistas com outros chefes de estado. Em 1972, esteve presente na conferência do Clima em Estocolmo e, desde então, considera que as ameaças ambientais isoladas se tornaram um problema global.