Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cinco novas detenções em Bruxelas depois das 16 de domingo

  • 333

As ruas de Bruxelas continuam a ser patrulhadas por um forte dispositivo policial

YVES HERMAN

No total, desde a noite de domingo já foram realizadas 21 detenções na capital belga. Por encontrar continua Salah Abdeslam, o homem mais procurado do momento

No terceiro dia em que a capital belga acorda sob o alerta máximo de terrorismo, o Ministério Público anuncia ter feito cinco novas detenções durante a noite passada, fruto das operações policiais que decorreram nas zonas de Bruxelas e Liège.

Estas detenções vêm juntar-se às 16 que tinham sido efetuadas este domingo, no contexto do alerta máximo (nível quatro) para terrorismo que está instalado na capital belga desde sábado. O resto do país permanece em alerta mas com menos restrições, uma vez que está sob o nível três.

Esta segunda-feira, as escolas, transportes públicos, locais turísticos e até algumas empresas de Bruxelas encontram-se encerradas. Outro sinal da ameaça terrorista que assola a capital belga é a forte presença militar e policial nas ruas.

Na noite passada, o primeiro-ministro belga, Charles Michel, disse que Bruxelas vai continuar no nível quatro de alerta, o que significa que a ameaça é “séria e iminente”. O governante foi mais longe e explicitou o motivo para as precauções redobradas: “Receamos um ataque semelhante ao de Paris, com vários indivíduos que podem lançar ataques simultâneos em múltiplas localizações.”

Apesar de todos os esforços, continua em fuga um dos alegados envolvidos nos ataques de Paris, Salah Abdeslam. O homem de 26 anos terá alugado os veículos que os terroristas conduziram na noite dos ataques e disparado contra clientes de cafés e restaurantes parisienses. De acordo com informações transmitidas por amigos de Salah, o suspeito terá pedido ajuda para fugir para a Síria através de uma chamada de Skype realizada na passada terça-feira.