Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Noruega vai destruir milhares de bicicletas usadas por refugiados provenientes da Rússia

Bicicletas usadas por refugiados depositadas num contentor junto ao posto fronteiriço de Storskog, perto de Kirkenesm, nordeste da Noruega

JONATHAN NACKSTRAND / AFP / Getty Images

O motivo tem a ver com segurança e não com terrorismo. As normas norueguesas para esse tipo de veículos são mais estritas...

Luís M. Faria

Jornalista

Não será a via mais direta para ir do Médio Oriente à Europa, mas para milhares de refugiados foi a mais segura: chegar a um lugar de confiança (digamos, Beirute), apanhar um voo para Moscovo e seguir daí para o Círculo Ártico, de onde se puseram a caminho para a Noruega. Em muitos casos, de bibicleta.

Desde que outros países do norte da Europa começaram a fechar as suas fronteiras, milhares de sírios - entre eles, crianças - fizeram esse trajeto este ano. Atravessaram lugares por vezes gelados até chegarem a lugares remotos como Storskog. Agora, a Noruega tomou uma decisão relativamente às bicicletas que eles usaram. São cerca de 3500, com um peso conjunto de 50 toneladas. Quase todas são novas, compradas de propósito para a travessia, tinham ficado guardadas nuns 30 contentores. Vão ser destruídas.

O motivo é de segurança, mas não tem a ver (obviamente) com terrorismo. Os veículos, provenientes da Rússia, não cumprem as normas de segurança norueguesas, que são mais estritas. Para os refugiados, é um problema menor. O que lhes interessa é terem chegado a uma terra onde a violência não os ameaça. Como explicou ao "The New York Times" o engenheiro Yasir Arslanuk, que atravessou a fronteira com a mulher e os dois filhos pequenos: "Putin ama Assad e Assad ama Putin, mas nenhum deles gosta dos sírios".