Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Vídeo mostra ataque terrorista a pizaria de Paris

  • 333

Durante 51 segundos, o atirador abriu fogo sobre o restaurante La Casa Nostra, no 11º bairro de Paris. Morreram cinco pessoas e oito ficaram gravemente feridas. Duas mulheres escaparam depois de lhes ter sido apontada a arma - que encravou ou ficou sem munições. Do ataque saiu uma heroína: Jasmine, parisiense de ascendência marroquina e argelina

As três câmaras de videovigilância da pizaria La Casa Nostra, da Rue de la Fontaine au Roi, perto da Praça da República, 11º bairro, estavam a funcionar quando o local foi atacado na passada sexta-feira. As imagens, obtidas pelo “Daily Mail”, mostram 51 segundos de rajadas intermitentes de kalashnikov disparadas por um único atacante. Será, segundo o jornal inglês, o jiadista belga Salah Abdeslam, de 26 anos, que continua a monte.

Treze clientes foram baleados no exterior da pizaria. Cinco morreram. Um estava a chegar para levantar a refeição que tinha encomendado. Podiam ter sido mais. Nas imagens, já no fim do ataque (aos 36 segundos da gravação), o terrorista aponta a arma a duas mulheres que estavam deitadas no chão da esplanada. Mas a AK-47 não dispara. Ou encravou ou ficou sem munições. Nessa altura o atacante é chamado pelos outros atiradores e parte num Seat preto.

Do ataque sai uma heroína: Jasmine, empregada parisiense de ascendência marroquina e argelina, com 20 anos de vida e apenas um mês de casa. É ela que, atrás do balcão, acalma e abraça Lucille, a mulher baleada no pulso que corre a esconder-se no interior da pizaria, mal começam os tiros. Mais nenhum funcionário ficou. Só larga a cliente ferida depois de assegurar que o atirador já tinha partido.