Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Viva a música, viva a liberdade, viva a França, viva os Eagles of Death Metal

  • 333

Banda é conhecida por trabalhar com grandes nomes da música, como é o caso de Josh Homme (dos Queens of the Stone Age, à esquerda na foto)

Cinco dias depois do massacre no Bataclan, banda norte-americana publica mensagem de solidariedade e incentivo

Os Eagles Of Death Metal (EODM), que tocavam sexta-feira à noite no Bataclan quando se iniciou o massacre que tirou a vida a quase 90 pessoas, publicaram no Facebook um comunicado na sequência dos acontecimentos trágicos na capital francesa. Na mensagem, o grupo norte-americano assegura que está em segurança e lamenta a morte de Nick Alexander, manager da banda e uma das vítimas dos terroristas que tomaram de assalto a sala de espetáculos do Bataclan.

“Mesmo que a banda esteja agora em casa, em segurança, estamos horrorizados e ainda a tentar compreender o que aconteceu em França. Os nossos pensamentos e o coração estão primeiro e acima de tudo com o nosso irmão Nick Alexander, e com os camaradas da nossa editora Thomas Ayad, Marie Mosser e Manu Perez, bem como todos os amigos e fãs cujas vidas foram tiradas em Paris, assim como os seus amigos, famílias e entes queridos”, partilhou a banda na rede social.

Na publicação, os EODM agradeceram à “polícia francesa, ao FBI, aos ministérios dos Negócios Estrangeiros dos Estados Unidos e de França”, acrescentado ainda que todos os concertos do grupo estão de momento suspensos, o que inclui o espectáculo marcado para 10 de dezembro em Lisboa.

Numa mensagem de apoio e positivismo, a banda garante que é nas dificuldades que é possível constatar que o amor ofusca o mal, concluindo o comunicado com um grito de força escrito em francês: “Viva a música, viva a liberdade, viva a França e viva os EODM”.