Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

França e EUA vão intensificar ataques contra Estado Islâmico

  • 333

OZAN KOSE/AFP/Getty Images

Os Estados Unidos garantiram que irão reforçar os esforços no combate aos jiadistas, ao lado da França. Num encontro à margem da cimeira do G20, Obama e Putin chegaram a acordo para a realização de negociações sobre a Síria, mediadas pelas Nações Unidas

“Claramente, haverá uma intensificação dos nossos esforços” no combate ao autoproclamado Estado Islâmico (Daesh), depois dos ataques desta sexta-feira em Paris que tiraram a vida a 129 pessoas, deixando 252 feridas. Quem o garante é o conselheiro de Segurança da Casa Branca, Ben Rhodes, entrevistado pela NBC à margem da cimeira do G20 na Turquia.

E reforça ainda que a sua presença no G20 passa por consolidar a necessidade deste esforço: “É o que estamos a fazer aqui no G20, à procura de contribuições adicionais de alguns dos nossos parceiros de coligação, para que possamos trazer mais força para realizar este esforço.”

O conselheiro de Segurança norte-americano deixa ainda claro que os Estados Unidos (EUA) estarão ao lado dos franceses na resposta aos ataques de sexta-feira em Paris, reivindicados pelo Daesh. “A França já participa na nossa campanha militar no Iraque e na Síria e, claramente, quer intensificar esses esforços”, acrescenta Rhodes. “Estamos confiantes que nos próximos dias e semanas, trabalhando com os franceses, seremos capazes de intensificar os ataques contra o Estado Islâmico na Síria e Iraque, deixando bem claro que não existe local seguro para esses terroristas.”

Rhodes sublinha que o envio de armas para as forças sírias e iraquianas está a dar resultados na luta contra o Daesh.

Obama e Putin acordam necessidade de negociações sobre a Síria

À margem da cimeira do G20, este domingo, o Presidente norte-americano Barack Obama e o homólogo russo reuniram-se informalmente à volta de uma mesa durante cerca de 30 minutos, segundo o Kremlin.

E os dois chegaram a um acordo: a necessidade de realização de conversações sobre a crise Síria, mediadas pela ONU. A notícia está a ser avançada pela agência France Presse.

“O Presidente Obama e o Presidente Putin concordaram com a necessidade de uma transição política liderada pela Síria, que seria conseguida através de negociações entre a oposição e o regime sírio, bem como através de um cessar-fogo”, declarou aos jornalistas um oficial da Casa Branca depois do encontro do G20 que decorre em Antalya, na Turquia.

Este é o primeiro encontro entre os Presidentes da Rússia e Estados Unidos, desde que os russos iniciaram os bombardeamentos na Síria no final de setembro. O Ocidente suspeitam que esta se destina a apoiar o Presidente sírio, Bashar al-Assad.

O Presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, também afirmou a necessidade da Rússia e EUA trabalharem em conjunto para lutar contra o Daesh na Síria. “Deve ser um objetivo comum coordenar as nossas ações contra o Daesh e, obviamente, a cooperação entre os EUA e a Rússia é crucial.”