Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Estado Islâmico reivindica oficialmente atentados em Paris

  • 333

O Estado Islâmico emitiu um comunicado onde declara que “oito irmãos” seus levaram a cabo os atentados preparados “com antecedência” na capital francesa. Os terroristas justificam os ataques como vingança pelos bombardeamentos na Síria

Cátia Bruno

Cátia Bruno

Jornalista

O autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) emitiu este sábado de manhã um comunicado onde assume a responsabilidade pelos atentados da noite de sexta-feira em Paris, França, que mataram mais de 100 pessoas em seis locais diferentes da cidade.

Segundo o documento difundido nas redes sociais em francês, o Daesh afirma que “os soldados do Califado” atacaram a cidade de Paris, a que chamam de “capital da abominação e da perversão”.

“Oito irmãos que transportavam cintos com explosivos e armas atacaram áreas no coração da capital francesa que foram previamente escolhidas em específico”, pode ler-se no comunicado, que aproveita ainda para chamar de “imbecil” ao Presidente francês François Hollande.

O Daesh afirma ter escolhido como alvo os franceses por estes terem insultado “o Profeta, terem-se gabado de estar a combater o Islão em França e por atacarem muçulmanos do Califado com os seus aviões” e avisa que este é apenas “o início de uma tempestade”.

No entanto, alguns analistas alertam para o facto de que não é possível saber para já se o ataque foi de facto inteiramente coordenado de fora ou se o Daesh estará apenas a aproveitar a situação para dar uma imagem de mais controlo da sua parte, como alerta Charlie Winter, especialista em grupos jiadistas da Fundação Quilliam, no Twitter: “Não há nova informação nem nomes na reivindicação do EI, por isso é difícil saber se foi [um atentado] ‘inspirado’ ou ‘dirigido’”, escreveu.