Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

As condolências e solidariedade de Cavaco Silva, Passos Coelho e António Costa

  • 333

Os líderes políticos portugueses partilharam palavras de apoio, indignação e solidariedade com o povo parisiense, na sequência dos atentados sofridos durante a noite de sexta-feira, na capital francesa

A noite de terror em Paris, alvo de sete atentados terroristas nesta sexta-feira, já originou reações por parte da União Europeia, incluindo Portugal. O Presidente da República, Cavaco Silva, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o secretário-geral do PS, António Costa, já manifestaram o seu apoio para com a situação vivida na capital francesa.

O Presidente da República, Cavaco Silva, enviou um telegrama de Estado ao Presidente francês, François Hollande, expressando a sua "grande consternação", face ao que classificou de "hediondos ataques terroristas" em Paris.

"Foi com grande consternação que tomei conhecimento dos hediondos ataques terroristas, hoje, em Paris, e da perda trágica de um elevado número de vidas", refere Aníbal Cavaco Silva, na mensagem dirigida ao seu homólogo francês e divulgada, esta sexta-feira, no site da Presidência da República.

O Presidente da República transmitiu ainda, em seu nome pessoal e do povo português, os sentimentos de "sentido pesar e da mais sincera solidariedade" ao Presidente Hollande, às famílias enlutadas e a todo o povo francês.

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, também partilhou as condolências com François Hollande.

"Tendo tomado conhecimento dos atentados, esta noite, ocorridos em Paris, quero expressar, em meu nome pessoal, do meu Governo e do Povo português, a Vossa Excelência, às famílias enlutadas e a todo o Povo francês, as mais sentidas condolências e a mais sincera solidariedade face aos trágicos acontecimentos que assolaram a França", declarou Passos Coelho, na mensagem enviada ao Presidente da República francês, garantindo solidariedade e apoio para o que for necessário.

O secretário-geral do PS, António Costa, não ficou indiferente ao terror vivido em Paris, tendo também enviado uma mensagem de apoio a François Hollande.

"Manifesto a minha solidariedade com o povo francês e as suas autoridades perante os ataques terríveis desta noite", escreveu António Costa que, de acordo com a Lusa, enviou a mesma mensagem ao primeiro-ministro, Manuel Valls, para o Partido Socialista Francês e também para o embaixador de França em Lisboa.

A porta-voz do BE, Catarina Martins, publicou na rede social Twitter a dor e a solidariedade para com as vítimas do atentado, declarando que os ataques foram "hediondos".

Os candidatos a Belém, Marcelo Rebelo de Sousa e António Sampaio da Nóvoa também partilharam os seu sentimentos para com a comunidade parisiense.

"Face aos incompreensíveis atentados registados em Paris na noite de 13 de Novembro, urge uma palavra veemente de repúdio contra a violência perpetrada por mãos criminosas", declarou o antigo presidente do PSD, citado pela Lusa, assegurando ser indesculpável o "terrorismo selvagem contra vidas inocentes".

António Sampaio da Nóvoa, candidato concorrente às presidênciais, classificou a situação como "mais um atentado à liberdade e aos valores universais", concluindo o comunicado com a hashtag: # LibertéEgalitéFraternité.