Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

França e Suécia reforçam o controlo nas fronteiras

  • 333

DENIS CHARLET / AFP / Getty Images

Esta semana, os dois países reforçaram o controlo das suas fronteiras, deixando em suspenso a livre circulação de bens e pessoas

O Acordo de Schengen tem como requisito fundamental a livre circulação de pessoas e bens entre fronteiras. Esta semana, a França e a Suécia, países pertencentes ao espaço Schengen, quebraram este ponto a partir do momento que começaram a reforçar o controlo de acesso aos seus países.

Para o primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven, e citado pelo jornal "Globo", a medida anunciada esta quarta-feira "não é um muro" mas apenas um maior controlo "da situação das nossas fronteiras", dado que "estamos em uma situação difícil, a Suécia recebeu muitos refugiados, mais do que qualquer outro país em relação à sua população". Desde setembro, o país nórdico já recebeu mais de 80.000 migrantes, tantos como durante todo o ano de 2014.

Já em França, a causa desta medida excecional do governo, e que estará em vigor durante um mês, deve-se à Cimeira do Clima em Paris, que se realiza entre os dias 30 de novembro e 11 de dezembro. A Cimeira conta com a participação de organizações internacionais e vários Presidentes e chefes de estado de 196 países, incluindo o líder dos Estados Unidos da América, Barack Obama.

O controlo será reforçado essencialmente entre os dias 25 e 29 novembro e 8 e 12 de janeiro, uma vez que estão previstas manifestações na capital francesa por parte do movimento Coalición Clima. De acordo com o Ministério do Interior francês, o objetivo principal desta medida é prevenir possíveis ameaças terroristas e impedir a entrada de ativistas violentos nas vésperas das manifestações em Paris.

O Ministro do Interior francês mobilizou mais de 30.000 polícias para os 285 principais locais de acesso ao país, que além de controlarem os carros e as estações de comboio, também o fazem nos aeroportos e portos. Na Suécia, o controlo é feito na ponte-túnel de Öresund entre a Dinamarca e a Suécia.

Os polícias franceses estão autorizados a controlar toda a documentação, quer seja passaporte ou bilhete de identidade, de todas as pessoas que pretenderem atravessar as suas fronteiras e, caso seja necessário, a revistarem os seus veículos e bagagens.

Devido ao nível geográfico francês, esta medida afeta vários países da União Europeia, como a Alemanha, a Bélgica, a Itália e o Luxemburgo. No entanto, a Espanha é um dos países mais afetados, dado que a maior parte das suas exportações são realizadas em veículos. A Suíça, que apesar de não pertencer à comunidade europeia, também sofre com este controlo, porque tem acordos com a França sobre a livre circulação entre as fronteiras.

Os países que pertencem ao espaço de Schengen têm a autorização de reforçar os controlos entre as fronteiras em casos excecionais. Nas últimas semanas, foram realizados alguns devido à "onda" migratória. Contudo, quando acontecem em eventos desportivos e cimeiras politicas têm apenas a duração de alguns dias.