Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Blatter no hospital com “esgotamento emocional”

  • 333

Philipp Schmidli/Getty Images

Os médicos ordenaram o presidente suspenso da FIFA a afastar-se do trabalho por cinco dias. Blatter deverá ficar internado até à próxima segunda-feira

Primeiro rebentou o escândalo de corrupção na FIFA, depois o fica-não-fica como presidente da instituição máxima do futebol internacional, entretanto a suspensão e agora um “esgotamento emocional”. Na passada sexta-feira, Joseph Blatter deu entrada num hospital na Suíça, cujo nome não foi revelado. Só esta quarta-feira a informação foi divulgada.

“O meu cérebro e o meu coração estão sempre bem, o meu corpo é que me está a desapontar”, terá dito Blatter, segundo avança o jornal britânico “The Guardian”.

A notícia do internamento do presidente suspenso da Federação Internacional de Futebol foi confirmada pelo porta-voz e amigo de Joseph Blatter, Klaus Stoehlker. “Está neste momento no hospital. Deverá ficar lá até à próxima segunda-feira e só volta ao trabalho na terça-feira”, disse citado pela AFP.

“Está a preparar-se totalmente para ir em frente na batalha contra os 90 dias de suspensão. Está profundamente convencido de que a Comissão de Ética não pode forçá-lo a ficar de fora. Ainda no outro disse-me: 'Fui eleito presidente por 209 membros do congresso e nenhuma comissão me pode deixar fora do jogo'. Ele [Blatter] está a lutar contra a sua suspensão”, acrescentou em declarações à CNN.

Na passada sexta-feira, dia 6, Joseph Blatter, de 79 anos, não se sentia bem. Foi levado para o hospital, onde não foi detetado nenhum problema. No entanto, foi aconselhado a descansar e afastar-se do trabalho. Segundo o mesmo porta-voz, o representante máximo da FIFA “está bem a nível físico e psicológico”.

No passado dia 8 de outubro Bletter, juntamente com Michel Platini - presidente da UEFA - a Comissão de Ética do organismo que rege o futebol mundial ordenou a suspensão provisória por 90 dias. A sanção acontece na sequência dos inquéritos instaurados a ambos os dirigentes.

A 25 de setembro, o Ministério Público suíço instaurou um processo criminal a Blatter, que foi interrogado na qualidade de arguido, por suspeita de gestão danosa, apropriação indevida de fundos e abuso de confiança. As autoridades suíças informaram que existe ainda “a suspeita que Joseph Blatter violou os seus deveres fiduciários” para com a FIFA, ao ter assinado com a CONCACAF um contrato para a cedência dos direitos de transmissão televisiva dos Mundiais de 2010 e 2014 por valores muito abaixo do preço de mercado.

A FIFA foi abalada por um escândalo de corrupção em maio, a dois dias da reeleição de Blatter, num processo aberto pela justiça dos Estados Unidos e que levou a acusações a 14 dirigentes e ex-dirigentes. No início de junho, Blatter apresentou a demissão, abrindo o caminho para novas eleições, marcadas para 26 de fevereiro de 2016. Mas até lá continua a liderar a FIFA.