Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

40.º aniversário da independência de Angola. Programa das festas

  • 333

Getty

​Angola celebra hoje 40 anos de independência com um desfile civil e militar e um discurso do Presidente José Eduardo dos Santos, numa cerimónia a que assistem convidados estrangeiros, entre chefes de Estado e de governo e delegações estrangeiras

As comemorações do 40.º aniversário da independência de Angola iniciam-se esta quarta-feira às 8h locais (7h em Lisboa) com o hastear da bandeira, pelo vice-presidente da República, Manuel Vicente, seguindo-se a deposição de uma coroa de flores no sarcófago do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto.

O programa prevê que antes do discurso do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, fale o ministro do Interior e coordenador da comissão preparatória das comemorações da independência, Bornito de Sousa.

Aos discursos segue-se o ponto mais alto das cerimónias, com o desfile civil e militar, que contará com a participação de 10 mil pessoas.

O desfile cívico contará com blocos dos antigos combatentes e veteranos da pátria, infantis, administração pública, juventude e dos desportistas, cultura e comunicação social, educação, ensino superior, ciência e tecnologia, comércio, hotelaria e turismo, mercados e feiras, saúde e ambiente, indústria, transportes e comunicações, construção, urbanismo e habitação, agricultura, pescas, pecuária e florestas.

Logo a seguir, desfilam a Polícia Nacional, Exército, Força Aérea e Marinha de Guerra.

Segundo o programa, José Eduardo dos Santos oferece em seguida aos chefes de Estado e de Governos e delegações estrangeiras um banquete oficial, para 3.000 convidados.

As comemorações dos 40 anos de independência angolana iniciaram-se a 8 de novembro, com um culto ecuménico no Estádio 11 de Novembro, em que participaram 50 mil pessoas.

Angola foi colonizada por Portugal durante cerca de 500 anos, tendo alcançado a independência na sequência da luta armada levada a cabo pelos movimentos de libertação.

A independência foi proclamada a 11 de novembro de 1975 por António Agostinho Neto, líder do Movimento Popular de Libertação de Angola e o primeiro Presidente de Angola, após 14 anos de guerra contra o poder colonial português.